Como Economizar na Cozinha: 5 Dicas para Começar Hoje Mesmo

Existem infinitas maneiras de economizar dinheiro, porém fazer grandes sacrifícios não é uma delas. Cortar aquele café de R$ 3,00 que dá forças para continuar o dia não irá transformar a sua vida financeira. Pelo contrário. O stress gerado será maior do que o suposto ganho financeiro (que ao final das contas não é tão grande assim.)

O mesmo vale para outras questões que envolvem economia doméstica. Já publiquei aqui no blog alguns artigos sobre este assunto. Em especial, recomendo que você confira o artigo sobre Como Economizar no Supermercado e 5 Dicas Essenciais para Economizar Dinheiro da Maneira Certa.

Observe que nenhum destes artigos fala sobre estratégias mirabolantes e “ideias criativas”. Sempre encontro muito material na internet com dicas incríveis, lindas e cheias de criatividade para reaproveitar as sobras e economizar dinheiro. Porém na prática não é assim que funciona.

O segredo para economizar dinheiro é tomar ações simples, realistas e viáveis no seu dia-a-dia até transformá-las em um hábito.

A cozinha e a alimentação representam uma parte significativa dos gastos mensais de qualquer pessoa. A verdade é que cozinhar em casa frequentemente sai mais barato do que comer fora, porém se você não tomar cuidado com os alimentos e as compras, é fácil sair do controle.

Selecionei 5 estratégias para economizar na cozinha de maneira fácil e realista. Transformar estas dicas em hábitos fará uma diferença enorme na sua conta bancária 🙂

Então, vamos lá!

1- Compre de Maneira Consciente

Como em qualquer área da vida, o primeiro passo para economizar dinheiro é comprar de maneira consciente. Isso não significa que você deve ser muquirana e contar cada grão de feijão ou substituir toda a sua lista de compras por marcas mais baratas.

Leia o artigo sobre como economizar no supermercado e você verá muitas maneiras de comprar de forma consciente.

Comprar alimentos de maneira inteligente e econômica significa controlar bem as quantidades para evitar desperdícios, escolher os alimentos na safra e sempre ter os alimentos-coringa disponíveis na geladeira, como ovo, cebola, alho e alguma proteína e vegetal. Desta forma você conseguirá economizar dinheiro, comer bem e conseguir um cardápio variado e saudável.

Uma dica é ter uma ideia do cardápio da semana. Se você for uma pessoa mais organizada, faça um planejamento de todas as refeições. Conheço pessoas que moram sozinhas ou tem pouco tempo que planejam o cardápio da semana, cozinham e deixam a comida pronta congelada em potes organizados por dia da semana.

Porém, se você não é tão organizado assim (meu caso), apenas ter uma ideia dos pratos já é um começo. Vejo muitas pessoas comprarem de maneira aleatória, sem pensar nos tipos de alimentos e, principalmente, na quantidade que será consumida.

Compre alimentos na safra

Comprar alimentos na safra trará uma economia enorme para o seu bolso, além de criar mais variedade na sua dieta. Confira neste link o calendário do Ceagesp com a época de safra dos alimentos: veja aqui.

2- Tenha bom senso na quantidade

Muitas vezes quando vamos à feira ou ao supermercado, ou quando estamos com fome, acabamos comprando mais comida do que deveríamos. Para alimentos não perecíveis ou congelados, isto não é um problema. Porém existem alimentos que não podem ser armazenados por muito tempo, como frutas e vegetais. Portanto é importante comprar uma quantia adequada para o consumo da sua família.

No caso das hortaliças, que estragam muito rápido, é recomendável comprar apenas um tipo de verdura por semana. É claro que isso dependerá do consumo e do tamanho da sua família, mas é comum que as verduras estraguem na geladeira. Se você vai à feira toda semana, preste atenção para não exagerar nos vegetais!

Cuidado com as refeições

Outra grande fonte de desperdício é exagerar na quantidade de comida a ser preparada nas refeições. Nós possuímos o costume de ter uma mesa farta, com muita variedade e quantidade de alimentos disponíveis. É aquele típico almoço de domingo. Porém muitas vezes este tipo de costume apenas gera prejuízo e desperdício.

Se você ainda não sabe muito bem qual é a quantidade ideal para a sua casa, experimente reduzir aos poucos a quantidade de comida preparada a cada refeição. Fazendo isso, chegará em um ponto em que você conseguirá cozinhar de maneira eficiente e acabar com o desperdício.

3- Reaproveite as sobras

Não tenha medo de comer comida “requentada”. Não faz mal comer o mesmo arroz e feijão a semana inteira, contanto que ele seja armazenado corretamente.

Vejo muita gente que cozinha todo dia uma coisa diferente e se recusa em jantar a sobra do almoço ou almoçar a sobra do dia anterior. Isso é uma besteira. Comida amanhecida não é veneno, e existem muitas receitas que podem ser feitas com as sobras, como fazer um belo arroz de forno com as sobras daquele frango assado do domingo, ou usar a sobra de estrogonofe como molho de macarrão.

Uma dica essencial para quem possui micro-ondas: ao requentar qualquer alimento, coloque um copo com água junto – a água irá evaporar e evitará que a comida fique seca ou borrachuda. Até pão velho fica macio. Apenas tome cuidado com o tempo: se for maior que 1 min, pause e troque a água. Jamais deixe que a água ferva , pois o copo pode estourar e causar um acidente.

como economizar na cozinha

Tem pão velho em casa? Corte em rodelas, adicione manteiga e orégano e coloque no forno – você terá deliciosas torradas temperadas.

Outra dica fácil é transformar tudo em sopa. Especialmente as sobras do feijão: bata no liquidificador, adicione cebolinha e carne desfiada e você terá um delicioso caldo de feijão.

Por fim, qualquer coisa pode ser transformada em omelete. Por isso, sempre tenha ovos na geladeira!

No caso de caldos, molhos e feijão, lembre-se de sempre fervê-los antes de consumir novamente, mesmo quando armazenados na geladeira.

4 – Invista em temperos

Tempero não é somente sal, pimenta-do-reino, alho e cebola. Existe um mundo gigantesco de temperos diferentes que podem ser usados e combinados para criar pratos deliciosos e criativos. E o melhor : você não precisa ser um Chef para isso.

Não estou falando de temperos prontos como caldo de galinha em tabletes ou misturas para feijão. Estou falando daqueles potinhos coloridos cheios de misturas interessantes, pimentas diferentes e ervas aromáticas.

economizar-com-temperos

Alguns temperos são caros, especialmente as misturas em pó, porém vale a pena o investimento. Já comprei uma caixinha com várias misturas de temperos que custou R$ 30,00 porém durou meses e rendeu várias combinações gostosas.

Parece loucura? Talvez. Porém sou a prova viva de que funciona. Com esta variedade enorme de temperos, consigo comer filé de frango a semana inteira de várias maneiras diferentes.

Possuir vários temperos em casa faz com que você consiga usar ingredientes menos “nobres” e criar combinações interessantes de sabor apenas jogando um pouco de tempero por cima na hora de preparar. Veja só a gaveta de temperos aqui de casa:

gaveta-de-temperos-poupar-e-viver
Nada de Glamour, aqui é vida real: Gaveta bagunçada e temperos sem identificação, mas juro que é feito com carinho 😛

Cultive seus temperos

Muitos temperos podem ser cultivados dentro de casa. Exemplos clássicos são a cebolinha, salsinha, manjericão e alecrim. Você irá precisar basicamente de um recipiente para servir de vaso, um pouco de terra e uma muda ou semente daquilo que você quer plantar.

Você pode deixá-los na janela, sacada, ou plantar na terra do seu quintal ou jardim. São fáceis de cuidar e o resultado é muito bom, pois você sempre terá temperos frescos para usar na cozinha.

Aqui nós começamos a nossa hortinha na semana passada:

cultivar-temperos-para-economizar
Cultivo meus temperos na lavanderia 🙂 Falta de espaço não é desculpa!

Tem cebolinha, tomilho, hortelã e alecrim. Para fazer essa hortinha, eu gastei R$ 6,00 em cada conjunto de vaso + prato, R$ 0,50 em cada muda e R$ 5,00 para comprar um saco de 5kg de terra , suficiente para encher os vasinhos (sobrou bastante). Gasto total: R$ 31,00.

Porém este valor pode ser muito menor. Os vasos podem ser substituídos por latas ou potes de sorvete usados. Você não precisa necessariamente comprar as mudas ou sementes, basta utilizar caules e talos dos temperos já comprados (veja neste link as dicas de cultivo).

O único gasto que eu recomendo é a terra adubada, que pode ser comprada em qualquer floricultura, casa de jardinagem e até no supermercado. Esta terra já vem com húmus, composto orgânico e com os nutrientes essenciais para o desenvolvimento das plantas.

Veja abaixo como plantar seus temperos corretamente:

plantar-temperos

5- Armazene corretamente os Alimentos

Armazenar os alimentos de maneira correta é uma excelente forma de evitar desperdícios e economizar na cozinha. Comida estragada também significa dinheiro no lixo, e portanto você deve evitar este problema.

Veja abaixo algumas dicas de armazenamento dos alimentos mais comuns:

Leite: Quando abertos, leites de caixinha deve ser guardados na geladeira (os de saquinho, sempre) e de preferência longe das carnes e temperos, para não pegarem o cheiro desses alimentos.

Queijo: Se estiver fora da geladeira, embrulhe-o em um papel filme e guarde em um local seco e arejado. Já na geladeira, é só cobrir com um plástico.

Pão: Nunca esqueça de fechar a embalagem com o arame que vem na embalagem. No caso dos pães de forma, não retire a primeira e a última fatia. Para pães franceses, guarde com o saco de papel e dentro de uma sacola plástica fechada.

Condimentos: não guarde perto do fogão ou em lugares quentes. O calor afeta a cor e o sabor dos condimentos, que devem ser armazenados em recipientes fechados e em locais frescos.

Verduras: Seque as folhas e guarde-as em um saco plástico ou pote fechado com pedaços de papel toalha dentro. Desta forma, o papel irá absorver a umidade e conservar o sabor e a textura das folhas.

Congele os Alimentos

Outra dica importante é congelar os alimentos, especialmente para quem mora sozinho e demora para consumir a comida.

Carnes, aves e peixes: limpe as peças, retire as partes não comestíveis (gordura, escamas, ossos) e separe em pequenas porções. Não congele carne temperada, e separe em potes pequenos para que você descongele apenas o que será preparado.

Frutas: Limpe e retire os caroços. Assim como a carne, guarde as frutas em potes pequenos para descongelar apenas o que for ser usado. Frutas congeladas são excelentes para preparar sucos e vitaminas!

Legumes: Antes de congelar os vegetais, use a técnica do branqueamento. Mergulhe o alimento em água fervente por alguns segundos e coloque-o em água fria logo em seguida. Com esta técnica, o cozimento será encerrado e irá conservar as características de textura, sabor e cor.

Conclusão

Além de evitar desperdícios, economizar na cozinha fará um bem enorme para o seu bolso. É possível comer bem gastando pouco, e esta economia começa no supermercado e vai até o reaproveitamento das sobras e o congelamento dos alimentos.

Por fim, uma dica: aprenda a cozinhar. Além de mais saudável, cozinhar em casa é muito mais barato do que comer fora. Eu aprendi isso a duras penas, já que não possuo muitas habilidades culinárias. Na verdade, quem cozinha bem é o meu marido, porém eu também aprendi a me virar e fazer o básico para o dia-a-dia.

Para quem gosta do assunto, recomendo a série “O que tem na geladeira?” da Chef Rita Lobo:

Nesta série, a Rita Lobo mostra uma série de receitas fáceis com vários tipos de alimentos comumente encontrados na sua geladeira: chuchu, pimentão, milho, cebola, tomate, entre outros. Garanto que as receitas dela são realmente fáceis de executar.

E você, quais são as suas estratégias para economizar na cozinha? Deixe o seu comentário ao final do post 🙂