como economizar dinheiro poupar e viver

Percebo que muitas pessoas passam por dificuldades financeiras por não saberem como economizar dinheiro. Outras, passam a vida toda frustradas por não conseguir realizar sonhos maiores por falta de planejamento financeiro. Existem ainda aquelas que não tem problemas, mas gostariam de guardar algo para a aposentadoria ou sabem que precisam de uma reserva para emergências mas não conseguem poupar dinheiro e se culpam por isso. Talvez você se encaixe em alguns desses casos.

Observo pessoas que querem saber como economizar dinheiro mas precisam de uma técnica infalível, pois são desorganizadas. Outras, querem realizar sonhos, comprar algo ou fazer uma viagem, e gostariam de aprender a controlar as despesas da casa e descobrir a maneira certa de economizar dinheiro.

É fato que se você não economiza dinheiro, fica refém da sua fonte de renda e não consegue realizar seus sonhos e ter uma segurança para emergências. Elas ficam longe da independência financeira, presas ao seu próprio salário ou perdidas em dívidas.

como economizar dinheiro

Outro fato é a má imagem do ato de economizar dinheiro – muita gente acha que é preciso ser mesquinho e muquirana para isso. As pessoas acreditam que não é possível viver confortavelmente, aproveitar a vida e economizar dinheiro ao mesmo tempo.  A consequência é a falta de preocupação com o próprio orçamento, falta de planejamento e o consumismo.

Ao longo dos próximos parágrafos, vou te mostrar algumas dicas incríveis sobre como economizar dinheiro da forma correta, fazendo o que você gosta sem desequilibrar o orçamento. Espero que goste!

1 – A Técnica Infalível para Economizar Dinheiro

Conheço muitas pessoas que querem economizar dinheiro mas precisam de alguma técnica infalível que ensine isso. Elas até tentam economizar, utilizam alguma planilha de controle de gastos e aplicativos de celular mas no fim continuam andando em círculos e com o orçamento no vermelho.

Outro grande problema das pessoas que não sabem como economizar dinheiro é a falta de liberdade, pois estas são reféns das suas fontes de renda e vivem com o eterno medo do desemprego.

Por fim, elas não conseguem fazer um planejamento financeiro, e com isso acabam parcelando suas compras, atrasando contas e pagando altos juros, perdendo ainda mais dinheiro. É realmente muito complicado.

Você irá se decepcionar comigo agora, mas preciso falar a verdade: não existe técnica infalível. Não há planilha de gastos, aplicativos ou técnicas milagrosas que serão capazes de resolver seu problema se você não mudar o fundamental: a sua mentalidade.

Aprender como economizar dinheiro e fazer um planejamento financeiro significa mudar seus hábitos financeiros.

Planejamento financeiro

Um bom planejamento financeiro começa com o estabelecimento de objetivos e a crença de que seus sonhos são possíveis, e o dinheiro é a ferramenta que você precisa para alcançá-los. A sua mentalidade determina o seu sucesso. De nada adianta ter uma bela planilha de controle de gastos preenchida e colorida se você não acredita que a sua vida financeira pode mudar. Se você continua fazendo as mesmas coisas, não terá resultados diferentes. Apenas anotar tudo em um papel dá uma falsa sensação de controle. É preciso mudar sua forma de pensar.

O dinheiro não é seu inimigo. Fazer um planejamento financeiro e controlar seu orçamento não deve ser uma tortura. Tudo pode ser feito de maneira natural e automática se você acreditar que é possível mudar sua situação financeira.

Não culpe seu salário, sua família, seu chefe ou o governo pelo fato de você não conseguir entender como economizar dinheiro. Tenha um objetivo em mente, e pense sempre em economizar para algo maior como a realização de um sonho, que é o que vou explicar no próximo tópico.

2 – Planejar para Realizar um Sonho

Neste tópico, vou te mostrar porque muitas pessoas não conseguem se planejar para realizar um sonho de consumo ou pessoal. Em sua maioria, essas pessoas acreditam que, por ganharem pouco dinheiro ou em muitos casos uma simples mesada, não são capazes de juntar dinheiro para consumir coisas caras como viagens, bens de consumo ou conquistar a independência financeira.

Entender como economizar dinheiro significa realizar uma mudança de mentalidade e de atitude perante suas decisões no dia-a-dia. É preciso ter um objetivo em mente. Economizar somente pelo ato em si não tem sentido, e não traz motivação suficiente para você transformar isso em um hábito.  Portanto, estabeleça seus objetivos, encontre um motivo pelo qual lutar e mudar seus hábitos financeiros.

Para que você consiga se planejar para realizar seu sonho, é necessário estabelecer metas realistas para isso. Anote o valor do seu sonho, e em quanto tempo você gostaria de realizá-lo.

como poupar dinheiro

Esse sonho pode ser um bem material, uma viagem, o pagamento de uma dívida, uma aposentadoria tranquila.. enfim, qualquer coisa que lhe dê motivação. Com esses valores em mãos, analise quanto dinheiro é preciso poupar mensalmente para atingir sua meta. Lembre-se que aprender a investir dinheiro é uma maneira garantida de acelerar todo esse processo.

O segundo passo é fazer o seu orçamento mensal ou anual, com o auxílio de uma planilha de controle de gastos, um aplicativo ou mesmo papel e caneta. Exemplos de planilhas podem ser encontrados na internet.

Lembre-se sempre de que a planilha de gastos é uma ferramenta para facilitar sua jornada e conseguir enxergar melhor como economizar dinheiro no seu orçamento mensal. Mas não é o uso dela, ou de outra estratégia qualquer, que irá determinar o seu sucesso.

Por fim, é preciso pagar a si mesmo primeiro. Priorize o seu sonho, o seu objetivo, poupe a quantia que você determinou especialmente para isso. Você deve guardar esse dinheiro e viver com o que sobrar. Seu padrão de vida deve ser ajustado aos seus sonhos, e não o contrário.

Caso seu sonho pareça inatingível, lembre-se que ganhar mais dinheiro também faz parte do planejamento financeiro. Busque outras fontes de renda ou trabalhos extras. Entretanto, lembre-se que seu padrão de vida não pode aumentar na mesma proporção do seu salário, caso contrário você continuará sem saber como economizar dinheiro.

É importante frisar que, para descobrir como economizar dinheiro para a realização de um sonho, é preciso também levar em consideração o seu bem estar. Economizar de maneira radical fará com que o ato de poupar se transforme em uma punição, e não em algo necessário para a realização do sonho. A vida é uma maratona, e você precisa sobreviver para atingir a linha de chegada. É exatamente sobre isso que fala o próximo tópico desse post.

3 – Como Economizar Dinheiro da Maneira Certa

Você sabe porque muitas pessoas conseguem poupar dinheiro sem precisar se privar dos prazeres da vida?

Sim, isso existe. O grande erro da maioria das pessoas é pensar naquela imagem da pessoa muquirana, mão-de-vaca, que passa a vida contando centavos, e acreditar que esse indivíduo está economizando dinheiro da maneira certa. No outro extremo, existe a imagem daquele que esbanja seus ganhos na forma de ostentação e de um alto padrão de consumo. E por incrível que pareça, essa pessoa é mais bem vista do que o muquirana.

Muita gente ao começar a economizar dinheiro, acaba cortando gastos supostamente ‘’supérfluos’’ que na realidade fazem muita falta para seu bem estar, e o fato de poupar dinheiro se transforma em uma punição.

economizar dinheiro da maneira certa

Para entender como economizar dinheiro da maneira correta, primeiramente é preciso uma dose de auto conhecimento. Você precisa entender o que é importante para você, o que te faz feliz, e se desvincular de coisas e hábitos que não lhe trazem satisfação verdadeira.

Com esse auto conhecimento você poderá estabelecer quais são as suas prioridades, e o que poderá ser cortado do orçamento sem trazer grandes prejuízos ao seu bem estar.

Vou usar um exemplo pessoal para que você entenda melhor. Eu adoro filmes, séries e cinema, e isso é algo que me acalma, inspira, e me dá motivação. Logo, ir ao cinema é algo que me dá prazer e melhora a minha qualidade de vida. Sendo assim, se eu precisar enxugar o orçamento, cortar meus gastos com cinema é uma péssima decisão. Posso reduzir a frequência, ir menos vezes, assistir mais filmes em casa, mas jamais eliminar completamente esse item do meu orçamento, pois sei que ele é de extrema importância para minha qualidade de vida.

Por outro lado, normalmente não me importo de trocar um táxi pelo ônibus. Então essa é uma economia que eu sei que posso fazer sem grandes impactos no meu bem estar.

A chave para economizar dinheiro da maneira correta é saber como e onde aplicar essa economia. Entender o que é realmente supérfluo na sua vida, e não somente reduzir de maneira metódica e fria, olhando somente os números e não todas as consequências que existem por trás deles.

Você pode, e deve, aproveitar a vida, e não viver em função do dinheiro. Faça economias inteligentes. Respeite a si mesmo. Não há nada mais valioso do que o seu bem estar.

Nesse ponto também é preciso cuidado. Seja sincero consigo mesmo, pois de nada adianta usar a justificativa de que tudo o que você tem hoje é extremamente essencial para sua sobrevivência e sanidade mental.

Você deverá fazer concessões. Algumas são dolorosas e exigem sacrifício, mas há medidas simples que podem ser tomadas dentro de casa, no dia-a-dia seu e da sua família.

4 – Controle as Despesas da Casa e Conquiste Objetivos

Uma grande dúvida das pessoas é com relação ao controle das despesas da casa. Vejo que muita gente não tem ideia das contas da casa, apenas pagam mês após mês. Isso impede que sejam identificados os pontos em que é possível reduzir esses gastos.

Outro problema é a falta de planejamento. Trata-se de ir ao supermercado sem uma lista de compras, gastar muito mais do que deveria e entupir a despensa com produtos que não precisa. No fim, muita coisa fica acumulada e os alimentos acabam até estragando na geladeira.

A casa é a soma de todas as pessoas que moram nela. Muita gente não tem harmonia na família em torno de um mesmo objetivo e dessa forma não conseguem fazer um orçamento familiar pois não entram em acordo. É preciso conversar e alinhar os objetivos da família em busca do controle financeiro e da realização dos sonhos.

como economizar dinheiro em casa

Entender como economizar dinheiro em casa começa com um diagnóstico das despesas mensais. Este diagnóstico consiste em anotar todos os gastos por pelo menos um mês. Para isso podem ser utilizada uma planilha de controle de gastos, ou um apontamento de despesas, como estes disponíveis no site da DSOP: planilha de gastos

Esse diagnóstico consiste em uma fotografia da situação financeira da casa e da família. Após o período determinado, é possível saber em quais áreas estão concentrados os maiores gastos. É possível enxergar também alguns ‘’ralos’’ para o dinheiro – aqueles gastos que você não fazia ideia que eram tão grandes.

Com este diagnóstico, é possível verificar as áreas que podem ser melhoradas e assim descobrir como economizar dinheiro em casa. Além disso, o simples fato de anotar os gastos já reflete em uma economia de dinheiro, já que passamos a prestar mais atenção no que compramos.

Um grande problema das pessoas é a falta de planejamento nas compras para a casa, como por exemplo o supermercado.  Nunca saia de casa sem um objetivo definido, sempre faça uma lista de compras e você irá perceber que esta simples ação evitará muitos gastos indesejados.

Outra dica de economia doméstica é controlar as quantidades de produtos que são usados diariamente. Isso vale tanto para comida quanto para produtos de limpeza.

Com relação á comida, preste atenção na quantidade consumida, e não desperdice. Prepare a quantidade certa para o número de pessoas e não caia na ilusão da abundância – aquela mesa cheia de comida que sempre sobra e acaba estragando. Esse tipo de atitude é ruim para o planeta e para o seu bolso também.

Já na questão dos produtos de limpeza, analise muito bem as quantidades de cada produto que são usados. Será que são realmente necessárias 2 doses de sabão em pó e 2 tampas de amaciante para lavar as roupas? Será que um produto mais concentrado não poderia ter um melhor custo-benefício? E aquele detergente, rende mais que o de outra marca? Você precisa mesmo encher a mão de Xampu no banho? E a pasta de dente, será que faz bem para a saúde cobrir completamente as cerdas da escova até espumar?

Essas são pequenas economias diárias que representam grandes quantias de dinheiro poupado ao final do ano. O segredo aqui é sempre pensar no que está fazendo. Não se deixe levar pelos seus hábitos. Pense, reflita e tenha bom senso.

Outro ponto importante é a questão do consumismo. Seja no mercado, no shopping ou na internet, muita gente compra por impulso, sem precisar e sem planejar. Esse é o maior vilão do seu bolso.

5 – Seja menos consumista

Conheço muita gente que não consegue controlar o consumismo e gastam tudo o que ganham. Essas pessoas ganham bem, mas mesmo assim sempre estão no vermelho. Já tentaram de tudo mas não conseguem solucionar o problema de como economizar dinheiro. Como consequência, acabam se endividando ou gastando tudo o que ganham e não sobra nenhum dinheiro para realizar os verdadeiros sonhos.

Consumindo mais, essas pessoas entram em uma espiral contínua de novidades, sempre querendo comprar mais, ter coisas novas e diferentes, e essa atitude vicia. Como consequência, não conseguem mais se contentar com as coisas que já possuem em casa.

Em última instância, a pessoa se torna uma acumuladora. Guardar coisas fora de uso traz como consequência a necessidade de um espaço de armazenamento cada vez maior, manutenção e limpeza. Gastam energia e dinheiro apenas para manter as coisas que já possuem.

Uma das maiores causas do consumismo é o descontrole emocional. Muitas pessoas possuem algum problema ou algum vazio em suas vidas e o ato de comprar serve como um alívio, uma válvula de escape. O motivo pode ser alguma separação, um stress, falta de motivação em seu trabalho ou em casa ou até mesmo puro tédio. Para se livrar desse problema, o ideal é refletir e observar qual é o motivo que faz você comprar compulsivamente, inclusive procurando ajuda profissional se necessário.

consumismo

Ao identificar o ponto de desequilíbrio, o gatilho que te leva a comprar compulsivamente, pense em atividades que irão gastar seu tempo e sua energia que podem substituir o ato de comprar. Dê uma volta no quarteirão, tome um banho, beba água gelada, ouça uma música, assista a um filme. O objetivo aqui é redirecionar a energia e a necessidade de comprar por outra atividade, destruindo o ciclo danoso do consumismo.

Outro ponto importante é valorizar o que você já tem. Ao sentir vontade de comprar uma roupa, por exemplo, experimente explorar seu próprio guarda-roupas. Valorize todas aquelas coisas que você já comprou, que já estão dentro da sua casa e pense em novas maneiras de utilizá-las. E, se comprar algo novo, descarte algo velho, evitando o acumulo.

Além dos pontos emocionais, há também a necessidade de tomar cuidado com as armadilhas do marketing como promoções e liquidações. Evite-as a todo custo, pois os preços reduzidos são uma tentação muito grande para comprar coisas que você não precisa somente para aproveitar a oportunidade. Utilize promoções para comprar coisas que você já tinha planejado.

Por fim, se você realmente acha que seu caso não tem solução, experimente sair de casa sem o cartão de crédito e somente com o dinheiro contado. Dessa forma, você definitivamente não poderá comprar nada.

Conclusão

Neste artigo, você aprendeu como economizar dinheiro da maneira correta, através da educação financeira. Aprender a mudar seus hábitos financeiros começa pelo simples ato de refletir sobre suas ações no dia-a-dia, pois é aí que se escondem os hábitos nocivos á sua saúde financeira.  Você também aprendeu que é importante ter um objetivo em mente antes de decidir poupar dinheiro , e também que a vida é feita para ser vivida, e portanto você deve equilibrar seu orçamento, fazer sacrifícios, porém não eliminar da sua vida tudo aquilo que te faz feliz no presente.

Por fim, você entendeu um pouco mais sobre como reverter o consumismo, que é uma questão psicológica e deve ser tratada da maneira correta, identificando os gatilhos e os sentimentos que o levam a comprar por impulso.

Neste artigo, não passei nenhuma fórmula milagrosa. Você também não leu dicas ‘’rápidas e práticas’’ sobre como economizar dinheiro. Me preocupei em não entrar nessa questão justamente porque são técnicas amplamente divulgadas na internet, e meu objetivo no Poupar e Viver não é repetir tudo o que já é falado por aí. Além disso, tratam-se de técnicas e estratégias, ferramentas para auxiliar no seu processo de mudança. Não são essas dicas que provocarão uma revolução na sua situação financeira.

Para conseguir poupar dinheiro, investir e realizar seus sonhos, a mudança deve vir de dentro, e não através de um conjunto de estratégias aleatórias.

É como dar uma Ferrari a uma criança de 5 anos: será que ela fará algo útil o carro?

Não se prenda a dicas rápidas e fáceis que estão espalhadas por aí. Repense seus atos, seus hábitos e crie a consciência de que é possível e preciso mudar. Essa é a essência da educação financeira. Com essa mentalidade, e com o desenvolvimento de bons hábitos financeiros, você passará a controlar suas finanças de forma automática e natural.

Espero que este artigo tenha provocado uma reflexão em sua mente. Gostaria, de verdade, que você deixasse um comentário para que eu possa descobrir se você conseguiu repensar suas atitudes perante o dinheiro e também para que eu continue criando mais artigos úteis como este.

Caso queira conhecer algumas dicas para poupar dinheiro, gravei este vídeo no qual eu apresento a Metodologia DSOP, criada pelo Reinaldo Domingos, que se baseia em 4 pilares fundamentais da educação Financeira: Diagnosticar, Sonhar, Orçar e Poupar:

  • Mone Costa

    Excelente postagem, você tocou em pontos muito importantes que todos nós devemos repensar e agir. Grande beijo Simone

  • obrigada Simone 😀

  • Rafael Avelino

    Olá Hevlin!

    Então , para mim, é preciso cortar os gastos desnecessários e tentar economizar.No meu caso , por imprudência, estourei dois cartões e tenho dificuldades de pagar a fatura completa, então sempre tem altos juros que não me deixam zerar o cartão rsrs.

    Abraço!

  • Olá Rafael,
    pois é, e é justamente na análise destes”’gastos desnecessários” que você precisa ver o que, de fato é desnecessário. Com um pouco de organização e disciplina, você quitará essa sua dívida, continue focado e vá em frente! Foque nisso agora, porque juros de cartão de crédito é algo extremamente perigoso. E quando quitar, lembre-se de que sua vida financeira deve continuar organizada, para que isso não aconteça novamente 🙂

  • Antonio Neto

    Hevlin, eu vi seus comentários no curso do Prof. Elisson de Andrade e percebi que você tinha grande potencial para escrever. Já que vc quer fazer algo diferente vou dar meu pitaco. Em regra, quando entro nestes sites de educadores financeiros, noto que que o assunto é o mesmo, ou seja, investir TD, não gastar mais do que se ganha, não se endividar, levar uma vida frugal etc. Assim, percebo que fica algo repetitivo. Situações mais arrojadas como se buscar novas fontes de renda através de outras atividades são pouco abordadas (empreendedorismo), e são exatamente estas situações que costumam alavancar o patrimônio líquido. Nada se fala quando é necessário fazer uma dívida para ganhar muito acima de qualquer investimento tradicional. Como exemplo cito o caso de um conhecido que comprou uma área bem localizada onde funcionava um colégio e a transformou em um estacionamento. Pagou 1 milhão na área há 4 anos, sendo que para tanto fez uma dívida de R$ 400.000,00. Foi muito criticado à época pq as pessoas achavam que não daria certo. O estacionamento “bombou” e este ano, passados 4 anos, vendeu este estacionamento por 4 milhões. Nada mal um lucro de 3 milhões em 4 anos, sem contar os rendimentos do estacionamento nestes 4 anos. Sinto que o público alvo dos sites de educadores financeiros são empregados, que recebem um salário e não conseguem administrá-lo. Parabéns pelo blog. Abs

  • Antonio Neto

    Hevlin, não entendi porque vc pede desculpa pela resposta. Entendi perfeitamente sua resposta, porém o que quis dizer é que a maioria dos educadores financeiros estão escrevendo a mesma “ladainha”, e muitas vezes as pessoas que os seguem ficam patinando em investimentos como LCI, TD, CDB etc, quando poderiam em um lance de ousadia dobrar ou triplicar seus investimentos. Citei como exemplo a questão da dívida. Todos recomendam não se fazer dívidas, gastar menos do que se ganha, etc. A dívida pode ser realizada não somente para uma atividade empreendedora, mas também para se fazer um grande investimento. Eu sei que a educação financeira é para todos (empreendedores, autonomos, empregados, etc) mas sinceramente o que sinto ao ler matérias de educação financeira que o público principal é aquele empregado que, em regra, ganha pouco e não sabe administrar o que ganha. Abraços

  • oi Antonio, escrevi errado, era ”desculpe pela demora na resposta” hehe

    Realmente, o seu argumento é super válido. O único ponto que devemos ter em mente é que para realizar um grande investimento (como o exemplo que você citou) é preciso conhecer bem onde está ”pisando”. Na minha opinião se assemelha a trabalhar com venda descoberta de ações. Ou então quem trabalha com leilão de imóveis, por exemplo. São jogos mais arriscados, e que a maioria das pessoas não está preparada para isso (daí o foco tão grande nas bases e em investimentos conservadores – é por aí que se começa). Mas sim, não deixa de ser uma opção.

    O que você falou sobre o público principal é verdade, inclusive estou preparando um material sobre educação financeira para empreendedores e profissionais liberais, pois as bases são as mesmas mas a realidade é um pouco diferente.

    Essa questão que vc discute na minha opinião está dentro daquilo que é mostrado no livro Pai Rico, Pai Pobre, sobre os quadrantes. Já leu? Acho que se encaixa nessa visão que você demonstrou em seu comentário. O que acha?

    Por fim, também escreverei um artigo sobre dívidas, e nele vou explicar que as dívidas não são necessariamente ruins. O problema são as dívidas descontroladas. Existem dívidas boas (como um empréstimo feito para abrir seu negócio ou aproveitar uma oportunidade), nas quais o custo de oportunidade é muito maior do que o juros do seu empréstimo. Existem também as dívidas controladas, como alguns financiamentos. Eu não sou contra financiamentos, afinal de contas vivemos em uma realidade em que nem todo mundo consegue guardar dinheiro para usá-lo todo em um imóvel ou veículo. A questão é que se for uma dívida controlada e planejada, não há problema algum 😉

  • Reginaldo de Souza

    Pois é Hevlin. Neste artigo você falou tudo. Desde que passei por uma acrise, passei a adotar o hábito de pagar-me primeiro. Ou seja, parte do que eu ganho já está reservada para meus investimentos. e somente depois disso é que passo distribuo minhas rendas para outros pagamentos. Tudo isso é claro, com a ajuda de uma planilha financeira, onde registro todos as minhas receitas e despesas.

  • Obrigada, Reginaldo! Essa parte de pagar a si mesmo primeiro é essencial, é o que o Robert Kyosaki ensina no Pai Rico, Pai Pobre. Você está em primeiro lugar. Pague a si mesmo, viva com o resto, e vc terá uma vida mais próspera 😉

  • Eduardo Romanos

    Poupar de maneira certo que é o grande desafio, mas eu chego lá 😀

  • Verdade, esse é o maior desafio. Mas é possível, basta colocar um objetivo em mente e seguir com foco e dedicação 😉 Garanto que vai valer a pena!

  • obrigada, que bom que gostou! abs