Dinheiro traz Liberdade? Devo me Importar com o Dinheiro?

Adoro pessoas livres. Desprendidas do mundo, sem se importar com padrões ou com o que a sociedade deseja e espera dela. Adoro quem não faz do dinheiro o centro de sua vida, que sabe que há coisas mais importantes que isso e que maior riqueza da vida não é o tamanho da sua conta bancária, e sim seus relacionamentos e suas experiências de vida.

E pessoas que não se importam com dinheiro? Bem.. essas me preocupam.

Ser livre x depender do dinheiro

A vida seria muito legal se ninguém dependesse do dinheiro. Se tudo se resolvesse como num passe de mágica, em um mundo em que não há ambição, em que todas as pessoas possuem condições de vida saudáveis, felizes, com acesso a comida, água limpa, educação e saúde. Eu adoro esse mundo.

Mas ele não existe.

O problema de afirmar que não se importa com dinheiro é que essa afirmação não se sustenta.

Quem afirma isso acaba virando refém do próprio sistema. e dependente da venda do seu tempo em troca de dinheiro, em seu íntimo torcendo para que nada saia dos planos, pois não há plano B.

É negar a responsabilidade pela própria subsistência, e em grande parte das vezes uma maneira mais fácil de justificar a própria inércia.

No fundo, é mentir para si mesmo.

dinheiro e liberdade
“Vou gastar R$ 10.000,00 na balada porque não me importo com o dinheiro”

A verdade é que você PRECISA se importar com o dinheiro. Só assim sua vida irá parar de girar em torno dele.

Como não me preocupar com o dinheiro?

Para não se preocupar com o dinheiro, primeiro é necessário se importar com ele. É ter o trabalho de analisar os ganhos e os gastos, fazer um planejamento financeiro, consumir de maneira consciente, criar uma reserva financeira de emergência, investir corretamente e  ter uma vida de abundância e livre de dívidas.

Se importar com o dinheiro é controlar suas finanças e poupar para poder investir, fazendo dinheiro gerar dinheiro.

É fazer o sistema trabalhar para você, e não o oposto.

É atingir a independência financeira.

O que é a Independência Financeira

Independência financeira significa ter uma reserva tal que os rendimentos desse dinheiro poupado e investido são capazes de pagar suas despesas mensais. Ou seja, é viver da renda gerada pelo seu próprio dinheiro.

 Ao ser financeiramente independente, você não mais depende da venda do seu tempo, e assim poderá utilizá-lo para o que bem entender. Você pode:

– Comprar uma BMW e ir morar em Miami;

– Dar a volta ao mundo por tempo indeterminado;

– Fugir com a sua filha para uma casinha do interior sem se preocupar com emprego e dinheiro;

– Dedicar sua vida a trabalhos voluntários;

– Continuar trabalhando, só que por prazer e não pelo salário.

Você é quem decide.

Independência financeira é ser verdadeiramente livre, e usar seu tempo e sua energia vital para o que quiser. É entender as regras do jogo.

É vencer o jogo.

Concluindo

Viver uma vida livre de problemas financeiros é ter liberdade. Se você não se importar com o dinheiro, não sobreviverá ao sistema capitalista em que vivemos. E , sem sobreviver dentro do sistema, como você irá lutar contra ele?

Tudo na nossa vida custa dinheiro. Você não precisa ter a ambição de ser milionário, nem deve fazer com que a sua vida gire em torno do dinheiro. Porém, é preciso ter o mínimo de cuidado e preocupação para que você consiga se sustentar e ter qualidade de vida.

Acima de tudo, a partir do momento em que você pensa sobre o seu consumo, cuida do seu patrimônio e investe corretamente, estará utilizando o próprio sistema como uma fonte de renda. Se você é financeiramente independente, poderá parar de vender o seu tempo por dinheiro, e terá a liberdade de fazer o que lhe traz prazer e realização pessoal, sem se importar verdadeiramente com o salário que irá ganhar.

Portanto, independência financeira traz liberdade.

O dinheiro traz liberdade.

E sim, você deve se importar com ele. Só assim sua vida terá equilíbrio.

SHARE
Previous articleSer Rico é ter Dinheiro?
Next articleO que Você Faria se Roubassem seu Dinheiro?
Hevlin Costa é engenheira, pós graduanda em coaching e educação financeira pela metodologia DSOP, investidora, devoradora de livros e apaixonada por finanças e investimentos.