Authors Posts by Hevlin Costa

Hevlin Costa

34 POSTS 13 COMMENTS
Hevlin Costa é engenheira, pós graduanda em coaching e educação financeira pela metodologia DSOP, investidora, devoradora de livros e apaixonada por finanças e investimentos.

by -
0
pedidos aliexpress

Uma vida financeira equilibrada se resume a:

  • Poupar com consistência
  • Ter um planejamento Financeiro
  • Consumir com consciência
  • Investir corretamente

Aqui no Poupar e Viver já publiquei artigos sobre todos estes temas. Porém, nunca publiquei dicas sobre lojas baratas e pechinchas.

A verdade é que este tipo de artigo é muito perigoso, pois muita gente acaba consumindo por impulso ao ver produtos com preços baixos.

Por este motivo, comprar no Aliexpress é uma grande tentação. O site reúne milhares de vendedores da China, e em geral os produtos possuem preços muito mais baixos do que no Brasil.

eletronicos da china

Comprar no Aliexpress poderá fazer você economizar muito dinheiro, mas é preciso resistir às tentações. Caso contrário, as compras por impulso irão anular completamente toda a economia feita devido aos preços baixos.

Independente do preço, você precisa ter consciência na hora de comprar, consumir o necessário e reduzir tudo aquilo que é supérfluo. Você não deve comprar algo só porque está barato. Primeiro, é preciso avaliar se você realmente precisa daquilo, e uma vez decidido, pesquisar os preços e encontrar o melhor negócio.

Além disso, o Aliexpress vende produtos feitos, em sua maioria, na China, muitos deles com controle de qualidade duvidoso e possivelmente feitos com trabalho escravo. Portanto, fica a reflexão sobre a responsabilidade social e ambiental ao comprar estes produtos. Se você se importa com isso, é um ponto a ser levado em consideração.

Resolvi escrever estas recomendações antes do artigo para que você tenha certeza do que está fazendo e não caia nas armadilhas do consumismo. Estes avisos são importantes para que comprar no Aliexpress traga vantagens reais para o seu bolso.

Tendo tudo isso em mente, e dados os devidos avisos, vamos ao conteúdo!

Comprar no Aliexpress Vale a pena?

Muitas pessoas tem dúvidas se vale a pena comprar da China pelo Aliexpress, especialmente em épocas de alta no dólar.

Pela minha experiência, tudo depende do que você irá comprar.

Para saber se realmente vale a pena, é preciso verificar o preço dos produtos e comparar com os preços no Brasil em lojas físicas, pela internet e inclusive no MercadoLivre. Além disso, no caso de produtos acima de 50 dólares, é importante estimar o custo dos impostos se a compra for taxada pela Receita Federal (a taxa é de 60% sobre o valor total da compra).

Esta comparação de preços é importante, mas não se esqueça de levar em consideração o prazo de entrega dos produtos. Em geral o prazo fica entre 40 e 90 dias, mas já recebi encomendas fora destes prazos.

Logo, você precisa avaliar: vale a pena pagar mais barato porém esperar 3 meses para receber a encomenda?

A resposta só dependerá de você.

Lembre-se também que comprar pela internet possui a desvantagem de não poder experimentar e ver os produtos ao vivo. Portanto, também existe a possibilidade de receber produtos de qualidade inferior ou diferentes do que você imaginava. O Aliexpress disponibiliza uma proteção ao consumidor nestes casos, mas não deixa de ser um grande transtorno.

O que comprar no Aliexpress

Lembre-se que o Aliexpress é, acima de tudo, um site chinês. Existem muitos produtos de qualidade, mas também vários “negócios da china”.

Conheço pessoas que compram praticamente qualquer coisa pelo Aliexpress, mas eu possuo algumas restrições:

  1. Eletrônicos. Como não conheço a qualidade das marcas vendidas no Aliexpress, prefiro não arriscar, especialmente se forem eletrônicos mais caros. As únicas exceções são pendrives, carregadores, cabos e acessórios para smartphones.
  2. Réplicas. O Aliexpress é o paraíso das réplicas, inclusive alguns vendedores anunciam produtos supostamente originais – mas ninguém pode provar isso. Eu não gosto de réplicas, é uma decisão pessoal mesmo. Prefiro comprar algo reconhecidamente genérico do que adquirir uma réplica de alguma marca.
  3. Sapatos. Tenho um sério problema com sapatos, principalmente referente à numeração, logo não compro pela internet (muito menos da China). Mas também conheço pessoas que fizeram excelentes compras de sapatos pagando muito mais barato que no Brasil.
  4. Roupas. Já comprei algumas camisetas muito boas no Aliexpress e paguei muito barato. Mas também prefiro experimentar as roupas antes de comprar, então não compro pela internet. Entretanto, existem muitas pessoas que montaram o guarda-roupa inteiro na China. Se você não vê problemas em comprar roupas pela internet, aproveite. Existem muitas roupas baratas e de qualidade à venda no Aliexpress.
  5. Produtos Volumosos ou frágeis. Objetos muito grandes serão embalados em pacotes maiores ainda, e isso irá chamar a atenção da Receita Federal, mesmo que o valor da compra seja pequeno. Já produtos frágeis correrão um sério risco de quebrarem no transporte.

Então, o que comprar?

Existem muitas opções. Vale lembrar que esta é a minha experiência pessoal, de produtos que já comprei ou avaliei e vi que valem a pena. Na prática, pode-se comprar qualquer coisa pelo Aliexpress. Aqui vão alguns produtos que compro ou procuro com maior frequência:

Acessórios Pessoais

Na minha opinião, o Aliexpress é o paraíso dos acessórios. Já comprei muitas bolsas, mochilas, acessórios para cabelo, bijuterias, pincéis para maquiagem, relógios e outros itens de uso pessoal. Você também conseguirá encontrar produtos para maquiagem de marcas genéricas e réplicas de marcas famosas. Quem gosta de nail art também encontrará vários acessórios e películas dos mais diversos tipos.

Itens de papelaria

Gosto de comprar itens de papelaria, pois existem muitos produtos lindos que não vendem aqui no Brasil ou são muito caros, como adesivos, post its, borrachas, estojos, blocos de anotações, canetas, apontadores, corretivos e lápis enfeitados e coloridos.

Já reparei também que muitos produtos vendidos em lojas de “presentes criativos” são facilmente encontrados no Aliexpress por preços menores.

Produtos para a casa

Itens para a casa como torneiras, lâmpadas de LED e itens para acabamento em geral também são uma ótima pedida. Além disso, o Aliexpress possui uma grande variedade de produtos decorativos como tapetes, capas para almofadas, fronhas, adesivos de parede e enfeites em geral.

Fones de Ouvido e Acessórios para Celulares e Tablets

Sabe aquela capinha enfeitada para celular? No Aliexpress você consegue encontrar várias por preços inferiores aos praticados nas lojas brasileiras. O mesmo vale para fones de ouvido de marcas genéricas.

Produtos para artesanato

Esta foi a minha descoberta mais recente. Consegui encontrar no Aliexpress vários produtos para artesanato que não são vendidos por aqui ou são difíceis de encontrar. Já comprei botões, embalagens, formas para doces, acessórios para crochê, craft, carimbos e até tecidos. O Aliexpress é, na minha opinião, o paraíso dos artesãos. Existe uma variedade enorme de produtos e o preço é muito convidativo, principalmente para quem não tem acesso às lojas da 25 de Março em São Paulo.

Roupas para bebês

Comprar roupas para bebês no Aliexpress é uma excelente maneira de economizar dinheiro. Não tenho filhos, mas já comprei roupas e acessórios para presentear. Encontrei várias roupas e acessórios lindos e de qualidade que aqui no Brasil custam um absurdo.

Acessórios para Pets

Nunca comprei, mas em minhas buscas já encontrei vários vendedores especializados em roupas e acessórios para pets. Não comparei com os preços praticados em Pet Shops aqui no Brasil, mas acredito que sejam mais baratos. Considerando que boa parte destes produtos vem da China, a qualidade dos produtos do Aliexpress deve ser a mesma das lojas físicas que encontramos por aqui.

 

Passo-a-Passo para comprar no Aliexpress

Vamos agora à parte prática: como comprar no Aliexpress passo a passo.

Cadastro

Para comprar no Aliexpress primeiramente é preciso criar o seu cadastro no site. Aqui, nenhum segredo – basta preencher os formulários com os seus dados pessoais. O cadastro também pode ser feito utilizando a sua conta do Google ou Facebook.

Como Escolher os Melhores Produtos

Comprar no Aliexpress é simples, pois o site pode ser navegado em português. Caso esteja em inglês, basta selecionar o idioma e o país de envio.

Você poderá procurar os produtos navegando pelas categorias do site ou digitando diretamente na busca:

comprando no aliexpress

Em ambos os casos, aparecerão vários produtos de vendedores diferentes. O Aliexpress possui um sistema parecido como MercadoLivre, no qual vários vendedores diferentes anunciam seus produtos. Então, é preciso realizar uma pesquisa pelos melhores preços e também os vendedores com melhores avaliações.

Por exemplo, aqui temos o mesmo produto sendo vendido por duas lojas diferentes:

avaliação do vendedor

Veja que o preço já está em Reais. Observe que os preços variam muito, porém o primeiro vendedor cobra R$ 91,49 de frete, enquanto o segundo possui frete grátis. Sendo assim, apesar de mais caro, a segunda opção é mais em conta devido ao frete.

Além dos preços, é preciso avaliar também os vendedores. As notas dos vendedores são dadas por pessoas que já compraram seus produtos, como acontece com o MercadoLivre.

Para saber qual é a avaliação de um vendedor, basta passar o mouse sobre os ícones logo abaixo do nome da loja:pontuação do vendedor no Aliexpress

Para uma compra segura, é importante sempre comprar de vendedores bem avaliados e com muitas avaliações.

  • Tipos de Frete

O Aliexpress é famoso por possuir muitos produtos com frete grátis. Entretanto, normalmente o frete grátis não possui rastreamento (a encomenda é rastreada apenas até sair da China) e é mais demorado. Se você desejar, pode escolher outras opções de frete disponibilizadas pelo vendedor, basta clicar no ícone logo ao lado da “Expedição”:

tipos de frete da china

Aparecerá uma tela como essa, informando os tipos de frete com seus respectivos prazos e valores:

fretes internacionais

Concluindo o pedido

Após escolher seus produtos e colocar no carrinho, basta finalizar a compra. O carrinho de compras do Aliexpress irá mostrar os produtos escolhidos em cada loja como compras separadas, pois são vendedores diferentes. As compras realizadas em uma mesma loja irão aparecer agrupadas na mesma seção.

Para realizar o pagamento, basta clicar no botão “comprar tudo deste vendedor”:

comprar da china

O Aliexpress disponibiliza vários métodos de pagamento:

  • Alipay

O Alipay é a carteira virtual do Aliexpress. Você poderá criar uma conta e cadastrar seus cartões de crédito. É possível comprar automaticamente através destes cartões ou adquirir créditos para a sua conta. É um sistema parecido com o MercadoPago.

  • Cartão de crédito (internacional)

Outra opção de pagamento é através de cartões de crédito, mas somente os internacionais. A compra será processada em dólar, e a cotação será aquela referente à data de fechamento da fatura do seu cartão.

  • Boleto bancário

Também é possível comprar por boleto bancário, com o valor já convertido em reais. Neste caso, a compra será processada alguns dias úteis após a confirmação de pagamento do boleto.

  • Transferência bancária

O Aliexpress permite o pagamento direto via débito bancário nos bancos itaú, Santander, Banco do Brasil e Banrisul. Neste caso, você irá inserir seu CPF no site do Aliexpress e será redirecionado para o site do seu banco para realizar o pagamento com segurança.

Aguardando o pedido

Após o pagamento do pedido, você deverá aguardar o recebimento do pedido. O Aliexpress enviará ao seu endereço de e-mail cadastrado as informações do pedido, confirmação de pagamento e a confirmação do envio pelo vendedor.

Os pedidos costumam chegar entre 30 e 90 dias. O prazo varia muito, principalmente devido à Receita Federal no Brasil.  Até hoje nunca tive problemas causados pelos vendedores chineses. Já tive encomendas que não chegaram, mas o rastreamento sempre mostrava que os produtos haviam saído da China. Como já fiz compras internacionais em outros sites e tive o mesmo problema, posso afirmar que estes atrasos ou extravios acontecem no Brasil.

Você pode verificar a situação do seu pedido no menu “Meus Pedidos”:

pedidos aliexpress

É possível rastrear o pedido, porém como expliquei anteriormente, nem todos os tipos de frete possuem o rastreamento completo. É comum ter apenas a informação de postagem ou, no máximo, a saída do produto da China.

Proteção de Compra

Todos os pedidos feitos no Aliexpress possuem uma proteção ao consumidor.  Esta proteção tem a duração de 60 até 120 dias.

Caso a proteção de compra esteja chegando ao fim, você receberá um e-mail do Aliexpress com o aviso.

Se a proteção de compra estiver acabando e você ainda não recebeu o pedido, é recomendável pedir ao vendedor para estender o prazo. Isso pode ser feito clicando em “Estender proteção de Compra” no e-mail ou na tela do seu pedido.

Aparecerá uma janela como esta:

protecao de compra aliexpress

Digite o número de dias que você deseja estender a proteção. Normalmente eu coloco 30 dias. Fica a critério do vendedor estender ou não o prazo. Porém, se o vendedor não aceitar a extensão de proteção de compra, recomendo abrir uma disputa, pois desta forma você será reembolsado pela compra (que não chegou).

Abrindo uma disputa no Aliexpress

Se a proteção de compra finalizar ou o produto recebido não corresponder ao anunciado, você poderá abrir uma disputa no Aliexpress.

As opções disponibilizadas são Pedir o reembolso ou enviar o produto de volta para o vendedor. Mas, como o prazo é muito longo, além do transtorno de devolver os produtos para o correio, recomendo sempre pedir reembolso, pois desta forma a disputa será resolvida mais rapidamente.

Como muitas vezes esta tela aparece em inglês, vou descrever aqui o passo-a-passo do processo de disputa:

abrir disputa

Para pedir o reembolso, clique em “Refund Only”:

abrir uma disputa no aliexpress

A seguinte tela irá aparecer, e nela você deverá justificar porque está pedindo reembolso. Selecione se você recebeu ou não o produto. Se você não recebeu, aparecerão as seguintes opções:

opcoes de reembolso

Se você recebeu, poderá selecionar as seguintes opções:

pedindo reembolso da china

Você deverá selecionar a razão pela qual está pedindo reembolso, escrever alguns comentários sobre o problema com os produtos ou com o envio (recomendo escrever em inglês, use o Google Tradutor se precisar) e postar fotos ou vídeos dos problemas caso necessário.

Após solicitar a disputa, o vendedor terá 15 dias para dar uma resposta. Você também pode pedir para o vendedor enviar novamente os produtos, mas este processo pode demorar mais.

Caso não haja acordo, o Aliexpress irá mediar a disputa e decidir com base nos argumentos de ambos os lados, por isso é importante justificar claramente o motivo pelo qual você abriu a disputa.

Já pedi algumas disputas no Aliexpress devido a problemas com o prazo de entrega. Em todos os casos o vendedor respondeu após alguns dias e eu tive o meu reembolso. O sistema de disputas do Aliexpress é muito bom e evita fraudes. Caso exista algum vendedor aplicando golpes, o próprio sistema irá punir as suas ações e bani-lo do mercado.

No caso de reembolsos, o pagamento pode ser feito através de créditos para compras futuras ou estorno diretamente no cartão de crédito. Você receberá e-mails informando quando o dinheiro for devolvido.

Taxas e Impostos

encomenda taxada receita federal

Uma dúvida comum das pessoas é a questão dos impostos e taxas da alfândega. E essa é uma questão muito complicada.

A taxa de importação cobrada pela Receita Federal é de 60% sobre o valor da compra. Existem algumas regras sobre as taxas de importação. Uma delas é a isenção destas taxas para encomendas abaixo de 50 dólares. Entretanto, pela minha experiência, essa regra não é 100% confiável.

Como mencionei neste artigo, já comprei os mais variados tipos de produtos da china e de outros países.  Algumas foram taxadas, mas a maioria não. O problema, porém, é que não consegui estabelecer um padrão para estas encomendas que foram taxadas no que se refere ao valor da compra e ao tipo de produto.

Já fui taxada em compras abaixo de 50 dólares enviadas por pessoas físicas e jurídicas. Por este motivo, nunca confiei nesta regra.

Pela minha experiência, o que fez a maior diferença foi o tamanho/peso do pacote e o tipo de frete. Por exemplo, já paguei frete por EMS, DHL e Fedex e 100% das vezes fui taxada. Então, apesar destas modalidades de frete possuírem rastreio e uma maior segurança, é quase certo que a encomenda será taxada.

Com relação ao tamanho/peso, quase sempre que comprei produtos volumosos ou fiz compras grandes dentro de um mesmo frete, fui taxada. Eu acredito que isso aconteça devido ao fato de pacotes maiores chamarem mais a atenção dos fiscais da receita federal.

Por fim, um fator que também fez diferença foi a época do ano em que realizo as compras. Percebo que os meses perto do natal são ruins para compras internacionais, pois além de aumentar a frequência de encomendas taxadas, o prazo de entrega também é muito maior devido ao alto volume de pacotes que a receita federal recebe.

Então, baseado na minha experiência, eu tomo os seguintes cuidados para evitar as taxas:

  • Comprar produtos que fazem pouco volume;
  • Separar compras grandes em vários pedidos menores;
  • Evitar comprar eletrônicos e produtos de alto valor;
  • Evitar compras durante os meses de outubro, novembro, dezembro e janeiro.

Vale ressaltar que esta é a minha experiência. Posso estar falando bobagens aqui, mas é o que funciona para mim. Não sou especialista em importação, apenas uma consumidora assídua de produtos importados. O que funciona para mim pode não funcionar para você. O ideal é buscar informações em vários lugares e realizar as suas próprias experiências.

Conclusão

Comecei a escrever este artigo com o objetivo de ser um guia rápido e prático, mas acabou ficando enorme. Preferi abrir o jogo e dar todas as informações e estratégias que eu uso para economizar dinheiro comprando da china.

Uma coisa muito importante é ter em mente que você não deve comprar só porque está barato. Tome muito cuidado com estes sites! Compre o que você precisa e o que estava planejado!  Consumir sem consciência fará seu orçamento estourar.

O Aliexpress pode ser uma mina de ouro para quem compra com consciência e busca sempre economizar, mas também pode ser a perdição daqueles que compram por impulso. Preste muita atenção no que está fazendo para não se arrepender no futuro.

Uma dica é colocar os produtos no carrinho e não finalizar a compra na hora. Espere alguns dias ou até semanas e verifique novamente se você ainda precisa daquilo.

Promoções são ótimas, mas também são suas inimigas pois incentivam as compras não planejadas. Use as informações deste artigo a favor do seu orçamento e não contra ele!

Espero que tenha gostado do artigo, se ficou alguma dúvida ou se você tem alguma experiência com compras da china para contar, deixe aqui seus comentários.

by -
0
museu de valores do banco central

O Museu de Valores do Banco Central raramente é lembrado pelos viajantes ao planejar uma visita a Brasília. Estou inclusa neste grupo, pois vou todos os anos à capital federal e nunca havia sequer ouvido falar sobre este museu.

Este ano, porém, estávamos buscando algo para fazer e nos deparamos com o Museu de Valores na lista do TripAdvisor, e resolvemos conferir.

O resultado?

Museu de Valores do Banco Central

Uma grata surpresa!

Fiquei impressionada pela falta de informações sobre este museu, tanto nos guias turísticos quanto na internet como um todo. É um museu desconhecido, infelizmente, mas na minha opinião se transformou em uma jóia da capital brasiliense.

O passeio é rápido, agradável e com fácil acesso para quem estiver em uma passagem rápida pela capital federal.

Além disso, a visita também é 100% Gratuita e você ainda ganha um presente: uma moeda cunhada pelo Banco Central especialmente para os visitantes do Museu de Valores. 🙂

Um Passeio pela História do Dinheiro

O Museu de Valores do Banco Central é um passeio muito interessante, uma verdadeira viagem à história das moedas no Brasil e no mundo. Ele também possui uma seção sobre educação financeira e uma área dedicada à história da exploração do ouro no Brasil.

É o passeio perfeito para fãs da numismática, pois possui exemplares de moedas raras do mundo inteiro, inclusive as antigas patacas e moedas de porcelana (Meissen) utilizadas pelos alemães após a Segunda Guerra Mundial.

Salas Temáticas

Existem várias salas temáticas que englobam desde o Brasil Colonial até curiosidades monetárias:

Sala Curiosidades Monetárias

O Museu de Valores do Banco Central possui uma seleção de peças que fogem à regra geral em que enxergamos o dinheiro como um papel ou uma moeda metálica.

Nesta seção, existem vários exemplos das “moedas” incomuns que entraram em circulação em vários períodos históricos: formatos curiosos, materiais incomuns, moedas gigantes e moedas minúsculas.

A maior e a Menor moeda do mundo

 

Sala Ouro

Na minha opinião, esta é a sala mais interessante do Museu de Valores do Banco Central. A exposição percorre todo o processo de obtenção do ouro, desde a mineração até a cunhagem dos lingotes, moedas, medalhas e joalheria.

Além disso, esta sala possui a maior pepita de ouro do mundo em exposição, com “apenas” 150 kg:

maior pepita de ouro do mundo

Sala Brasil

A Sala Brasil possui um acervo que mostra toda a história do dinheiro no Brasil, desde os primeiros contatos dos portugueses com os índios até os dias atuais.

sala Brasil

Existem exemplares e quadros explicativos com moedas e cédulas do Brasil Colônia, Reino Unido, Império e República, incluindo também cédulas especiais, certificados, bilhetes bancários e unidades comemorativas. Quem se interessa por Numismática irá adorar esta sala!

Sala Emissões do Banco Central

O Museu de Valores foi fundado pelo Banco Central, e nesta sala existem exemplares de todas as cédulas e moedas emitidas pelo Banco Central desde que ele foi criado em 1964.

sala emissoes do banco central

Sala Mundo

Na sala Mundo, existem cédulas e moedas de mais de 50 países do mundo, cada um com o seu padrão monetário e as suas curiosidades.

sala mundo

 

Além das salas temáticas, também existe um painel mostrando todo o processo de criação da cédula, desde a escolha da arte final até o desenvolvimento das técnicas para evitar a falsificação. Ao final do passeio você também poderá adquirir lembrancinhas e moedas raras na loja oficial do museu – uma ótima oportunidade para os apaixonados por numismática.

Museu de Valores e a Educação Financeira

Além das salas dedicadas à numismática e a história do dinheiro, existe uma exposição especial voltada para a psicologia econômica:

psicologia econômicaw

Particularmente, esta foi a exposição que mais gostei, e também a primeira que visitei no museu, por motivos óbvios: é tudo o que eu busco ensinar para as pessoas!

educação financeira

Esta sala possui vários quadros, vídeos e atividades interativas que convidam o visitante a refletir sobre as suas decisões de consumo – muitas delas inconscientes. É uma área muito interessante, e mostra a importância da educação financeira no dia-a-dia.

comprar a vista ou a prazo

 

Uma das atividades interativas mais interessante é o painel sobre as armadilhas do Marketing dos supermercados, muitas das quais mencionei no artigo sobre como economizar no supermercado. Nela, você irá aprender todas as estratégias utilizadas pelos grandes varejistas para incentivar o processo de compra. Ao final,  há um quadro magnético em que você poderá montar a sua própria oferta.

A exposição é super didática e com aplicações diretas no dia-a-dia. Recomendo!

Horário de Funcionamento

O museu funciona de segunda a sexta das 10h às 18h, e também no primeiro sábado do mês das 14h às 18h. Confira a programação atualizada no site do Banco Central.

Como Chegar

O Museu de Valores é localizado dentro do prédio do Banco Central do Brasil, no Setor Bancário Sul, Quadra 3 Bloco B. É este prédio aqui, perto da Caixa Econômica Federal:

Banco Central do Brasil

museu de valores como chegar

Carro

Adicione o endereço abaixo ao seu GPS:

O prédio fica localizado no plano piloto, perto do eixo monumental. Logo, é possível passar no Museu de Valores se você estiver visitando a Catedral, Congresso Nacional, Torre de Televisão e demais atrações das redondezas.

Existem várias vagas de estacionamento públicas por perto. Se você estiver passeando pelo eixo monumental, não recomendamos ir a pé até o museu. Em Brasília, as aparências enganam. Apesar de parecer perto, devido ao relevo plano, na prática são vários km de distância entre os pontos turísticos.

Recomendamos também aproveitar a visita e conhecer o saguão de entrada do prédio da Caixa Econômica Federal e conferir o acervo com 24 vitrais criados pelo artista Lorenz Heilmair. Cada vitral representa um estado brasileiro, e são todos muito bonitos!

Transporte público

Existe uma estação de metrô por perto, a 102 Sul. Você deverá sair pela saída Eixinho Leste e andar até o museu (aproximadamente 500 m).

Também é possível chegar de ônibus, pois a rodoviária do Plano Piloto fica a 1 km do museu, e vários ônibus passam em frente ao prédio do Banco Central do Brasil pela avenida Eixo L Sul (existe um ponto de ônibus bem em frente ao prédio).

Find-the-Perfect-Hotel 728x90

Conclusão

O Museu de Valores do Banco Central é uma verdadeira viagem à história do dinheiro. É um passeio imperdível para quem adora moedas, e de quebra ainda dá a oportunidade de ver como é o prédio do Banco Central do Brasil por dentro.

Além disso, também há também uma galeria de arte no oitavo andar, com obras de Cândido Portinari, Di Cavalcanti, Tarsila do Amaral, entre outros.

Este é um passeio tranquilo, gratuito e relativamente rápido. Separe uma ou duas horas do seu dia para conferir essa jóia escondida na capital federal, garanto que vai valer a pena!

Clique aqui e acesse o site oficial do Museu de Valores

E você, já visitou o museu? Deixe aqui seus comentários 🙂

by -
1

Investir, Poupar, Especular, Apostar… estes são termos que confundem os investidores iniciantes.

Neste artigo, convidei meu amigo Ramiro Gomes Ferreira, autor do site Clube do Valor, e especialista em investimentos credenciado pela CVM. Você irá aprender, de maneira clara, como diferenciar estes termos e porque é tão importante diferenciá-los.


Quem está iniciando sua jornada em busca da independência financeira pode achar bastante complicado entender alguns termos utilizados nesse universo.

Afinal, infelizmente não aprendemos a como lidar com o dinheiro na escola.

Neste artigo, vamos aprender a diferença entre investir, poupar, especular e apostar.

O assunto Especulação Financeira já foi discutido no Clube do Valor (acesse aqui), mas existem muitas informações que devem ser compartilhadas para os investidores iniciantes

Portanto, prepare-se para aprender lições importantes, como:

  • A diferença entre investimento, poupança, especulação e aposta
  • A importância de entender essa diferença
  • Como não cair na armadilha da especulação
  • Por que o ato de poupar não é o mesmo que investir
  • Por que você deve começar a investir agora

1-diferenca-investir-poupar-especular-apostar

Parece interessante, não é mesmo?

Então compartilhe este post com seus amigos e familiares para que eles também possam aprender sobre esse assunto!

Diferença entre investir e poupar

 

É neste ponto em que a maioria das pessoas se confunde.

Infelizmente, muitos ainda não sabem diferenciar os termos “investir” e “poupar”.

E é bastante fácil identificar o culpado para isso: a Caderneta de Poupança.

Considerada de forma disparada a modalidade de investimento (conceituação bastante controversa para alguns especialistas) mais popular em nosso país, a Caderneta de Poupança, ou simplesmente poupança, ganhou o coração dos brasileiros nos últimos anos.

A liquidez diária é um dos fatores que contribuiu para essa popularização.

Porém, o ponto negativo foi a percepção errada de que poupar é o mesmo que investir.

2-diferenca-investir-apostar

Na verdade, essas duas palavras fazem referência a ações diferentes.

Poupar é o ato de guardar dinheiro.

Quando poupamos, temos por objetivo manter o fluxo de entrada (salário, bonificações e outras fontes de renda) maior que o fluxo de saída (despesas e outros gastos).

Portanto, trata-se de algo que exige mudança de hábitos, como a contenção de gastos supérfluos e desnecessários, algo que se faz especialmente necessário se é normal o orçamento estourar e não sobrar nada ao final do mês.

Já investir, por outro lado, tem relação com o ato de aplicar o dinheiro poupado para que a partir dele seja gerada uma remuneração futura.

Isso geralmente se dá através do pagamento de juros ou a correção do valor.

Realizar investimentos também é uma prática que exige disciplina e comprometimento, tanto quanto ou até mais do que para poupar.

A confusão entre poupar e investir se dá por conta da associação entre a Caderneta de Poupança e outras modalidades de investimento.

Como o próprio nome sugere, a poupança serve para que as pessoas poupem dinheiro, muito embora ela também remunere o capital de acordo com juros de uma rentabilidade pré-calculada.

Diferença entre investir e especular

 

Embora não seja tão conhecido pela maioria dos iniciantes no mercado financeiro, o termo “especular” também gera bastante confusão.

Isso acontece por causa da semelhança inicial entre essas duas palavras, o que acaba se mostrando falso em pouco tempo.

Para entender melhor essa distinção, citamos a definição de ninguém menos que Benjamin Graham, aquele que, em minha opinião, é o investidor mais importante da história:

“Uma operação de investimento é aquela que, após análise profunda, promete a segurança do principal e um retorno adequado. As operações que não atendem a essas condições são especulativas.”

Para quem não sabe, Benjamin Graham foi o professor de ninguém menos que Warren Buffet, um dos investidores mais renomados da história.

3-diferenca-investir-especular

Portanto, podemos entender o ato de especular como agir em condição de extrema incerteza.

Aqueles que trabalham com esse método adquirem um bem com a esperança de que ele vai se valorizar no futuro.

Nesses casos, o risco é altíssimo, bem como a possibilidade de render grandes quantias de dinheiro.

Já o investimento, muito embora também apresente riscos (o que pode variar de uma modalidade para outra), tem uma característica de segurança maior.

Aqueles que trabalham com esse método estudam todas as possibilidades e consideram até mesmo os riscos dentro de suas projeções.

Somente depois de acumular uma grande quantidade de conhecimento sobre determinado assunto e as condições de negócio que o investidor toma uma ação.

Nesses casos, a chance de retorno é bem maior.

Diferença entre investir e apostar

 

Essa é a distinção mais fácil de apontar, especialmente se considerarmos o quadro de extrema incerteza de quem aposta.

Como dissemos anteriormente, o investidor considera todos os riscos e os leva em conta antes de fazer qualquer manobra.

Essa regra não existe para um apostador.

Aqueles que jogam na loteria ou outros métodos semelhantes contam apenas com a sorte para conseguir algum resultado positivo.

É impossível prever se o apostador vai ganhar ou não.

Isso não acontece com o investidor, que tem consciência de suas chances e sabe ministrar as doses para que os riscos não ultrapassem o permitido por seu perfil.

4-diferenca-investir-apostar

Por que você deve entender essa diferença?

 

Afinal, qual das estratégias eu devo assumir?

Devo investir, poupar, especular ou apostar?

Depende!

Com esse texto, não tenho como objetivo destacar uma prática certa e outra errada.

É verdade que uma ação ou outra vai produzir resultados melhores dependendo de seus objetivos.

Mas é importante entender muito bem cada um desses métodos, para poder tirar o máximo de proveito de cada situação, pois até mesmo essa prática pode ser encarada como algo positivo para o mercado financeiro.

O mesmo pode ser dito sobre poupar e apostar.

A Caderneta de Poupança, bem como outras modalidades que priorizem o baixo risco e liquidez alta – como alguns Títulos Públicos negociados através do Tesouro Direto –, também tem as suas vantagens.

Essas são ótimas opções para aqueles que querem criar o chamado “colchão de liquidez” ou um fundo de emergência para situações inesperadas.

Já a prática de apostar, muito embora seja bastante criticada por alguns, pode ser encarada como uma excelente forma de entretenimento.

Os riscos assumidos nessa modalidade acabam gerando uma sensação de êxtase que somente é encontrado em drogas.

Portanto, não podemos menosprezar a função e utilidade de cada uma dessas práticas.

5-entendendo-a-importancia-diferenca

Conclusão

Investir, poupar, especular ou apostar?

Você já sabe o que pretende fazer com a sua vida financeira?

Em nenhum momento eu destaquei isso, mas nem é preciso dizer que o investimento é a modalidade que vai pavimentar o seu caminho para a independência financeira.

Porém, tenha sempre em mente o real significado de cada um desses termos.

Afinal, não é todo dia que precisamos lidar com cada uma dessas práticas.

Quando essa situação surgir, é bom estar preparado e permitir que os outros também se estejam.

Para finalizar, gostaria de convidá-lo a conhecer o Clube do Valor, site que criei para compartilhar conteúdos sobre finanças e investimentos e ajudar você a alcançar a independência financeira:

Clique Aqui e Acesse o Clube do Valor

Obrigado por ler este texto até aqui!

Um grande abraço.

Ramiro.


ramiro-gomesRamiro Gomes Ferreira é especialista em investimentos e possui ampla experiência em gestão e análise de investimentos. É credenciado pela CVM como administrador de carteiras de valores mobiliários e tem como missão transformar a vida das pessoas através do planejamento financeiro, ajudando-as a alcançarem a independência financeira.

by -
0

A vida é imprevisível. Apesar de todo o nosso planejamento, emergências sempre acontecem.

As emergências são os momentos em que estamos mais vulneráveis. Elas causam dívidas, stress emocional, preocupação e impedem que façamos o que é preciso de uma maneira racional.

Alguns exemplos de emergências são acidentes, perder o emprego, doenças repentinas, quebra do carro ou de eletrodomésticos essenciais, reparos de emergência em sua casa, entre outros.

Posso usar um exemplo pessoal, pois há alguns meses tivemos uma emergência médica na família. Nós possuímos plano de saúde, porém isso não impediu vários custos adicionais que o plano não cobriu, além da necessidade de realizar algumas consultas particulares.

Só neste pequeno incidente gastamos algumas centenas de reais, entre consultas, remédios e curativos. Além do afastamento do trabalho, que também precisa entrar na conta e irá refletir diretamente na nossa renda mensal.

Se nós não tivéssemos uma vida financeira equilibrada, além do stress emocional causado pelo problema, ainda teria o stress financeiro.

Emergências médicas costumam ser muito estressantes. Porém, imagine: Que tipo de decisão financeira você conseguiria tomar em um momento de crise emocional e preocupação com a sua saúde ou a dos seus familiares?

Este é o pior momento para se preocupar com dinheiro.

O exemplo acima é o tipo mais grave de emergência, que são as que envolvem a saúde. Porém existem outros imprevistos estressantes, como a perda do emprego, uma quebra inesperada do seu veículo, de algum eletrodoméstico importante ou problemas estruturais na casa.

Na verdade, um simples reparo hidráulico ou a necessidade de chamar o chaveiro de plantão já são motivos suficientes para causar stress emocional e financeiro.

Quando o problema não envolve a saúde e sim um bem material, o stress é um pouco menor, mas também existe. E é essencial ter uma elasticidade financeira para negociar preços e conseguir a solução do problema de uma maneira rápida. Isso diminui o transtorno causado pela emergência e reduz a perda financeira.

Por este motivo a reserva de emergência é importante.

Quem possui dívidas encontra-se em uma situação ainda mais crítica, pois sem a reserva de emergência existe uma chance grande da pessoa contrair mais uma dívida devido a um imprevisto.

Ou pior: já estar com o nome sujo e não conseguir recursos para resolver o problema.

Eu sei que é desagradável pensar em coisas ruins, mas tenha em mente que construir uma reserva de emergência não é ser pessimista, e sim uma prevenção contra dívidas inesperadas.

Se você possui dinheiro guardado para emergências, sua vida financeira será muito mais equilibrada. Além desta folga no orçamento, você também terá tranquilidade para focar em objetivos de curto, médio e longo prazo sem se preocupar com os imprevistos pelo caminho.

Quanto Dinheiro preciso para uma reserva de emergência?

poupar para emergências

A quantia de dinheiro que você deve poupar varia conforme a sua situação financeira e familiar. O valor mínimo recomendado é de 3 vezes os seus gastos fixos mensais. Dentro destes gastos entram o aluguel, contas da casa, parcelas de financiamentos, pagamento de cartões, compras de supermercado e demais despesas que não podem ser reduzidas repentinamente em casos de emergência.

Se você é um profissional liberal, autônomo ou freelancer, este valor aumenta para 6 vezes, pois a sua renda varia e é mais fácil ocorrerem problemas no meio do caminho. Para estes profissionais, recomendo assistir a palestra “Como Possuir um Salário Fixo Mensal Mesmo sendo Profissional Liberal, autônomo ou Freelancer”

Além disso, é preciso pensar na probabilidade de ocorrer uma emergência. Se existe alguma doença crônica ou tratamentos de saúde a longo prazo na sua família, esta reserva deverá ser maior.

Pessoas que usam o veículo próprio para trabalhar também precisarão de mais dinheiro na reserva de emergência, para que um problema com o carro não a impeça de trabalhar por muito tempo.

Como Poupar para Emergências

Se você não tem uma reserva de emergência, é preciso colocá-la como uma prioridade. Esta regra vale mesmo para pessoas endividadas. Como explicado anteriormente, a reserva financeira servirá para impedi-lo de criar ainda mais dívidas.

Para construir esta reserva de emergência, você deverá poupar dinheiro por alguns meses, mesmo que seja necessário apertar o orçamento neste período.

Aqui entra um ponto muito importante: quanto mais adequado for o seu padrão de vida, mais fácil será criar uma reserva de emergência.

Pessoas que vivem exatamente no padrão de vida que a sua renda pode pagar precisarão economizar por mais tempo, enquanto que aqueles que vivem abaixo das suas possibilidades financeiras conseguirão ter segurança financeira com mais facilidade. E aqueles que possuem um padrão de vida acima das suas possibilidades são o pior caso, pois esta é a receita para o fracasso financeiro e para contrair dívidas no futuro.

Para ter uma vida financeira equilibrada, você precisa gastar menos do que ganha, e isso significa ter um padrão de vida inferior à sua renda. Esta é a regra clássica das finanças pessoais.

Parece simples? Sim, mas é a verdade. Não há como fugir desta regra.

Ao gastar menos do que ganha, sempre haverá uma folga no orçamento que permitirá construir a reserva de emergência e poupar para o futuro .

Tendo isto em mente, vamos ao passo a passo para construir a reserva de emergência:

  1. Calcule quanto dinheiro é necessário para constituir a reserva;
  2. Com este valor, poupe no mínimo 10% da sua renda para construir esta reserva todos os meses. Quanto mais você conseguir poupar, em menos tempo conseguirá construir este fundo para emergências. Por exemplo, se você consegue poupar 20% da sua renda mensal, a cada 5 meses terá poupado o equivalente ao salário de 1 mês.

Se hoje as suas finanças são desequilibradas ao ponto de não ser possível poupar no mínimo 10% do seu salário, é porque algo está errado e será necessário realizar alguns sacrifícios para construir uma reserva de emergência.

Para saber exatamente o que está acontecendo com o seu dinheiro, faça um diagnóstico financeiro por, no mínimo, 30 dias. Este diagnóstico consiste em anotar (em papel, ou aplicativos) todo e qualquer gasto realizado, desde a gorjeta do flanelinha até o pagamento de contas e parcelas.

Com este diagnóstico, será possível observar onde estão os “ralos” para o seu dinheiro. Acredite, é possível encontrar resultados surpreendentes apenas com esta estratégia.

Novamente: parece simples? Sim. Porque é simples. O problema é que as pessoas não colocam isto em prática. Não adianta procurar soluções complexas ou milagrosas, porque elas não existem.

Se você tem dificuldades para criar um planejamento financeiro e poupar dinheiro, recomendo a leitura destes artigos:

Como organizar as finanças pessoais sem um salário fixo

Como Sair do Vermelho e Equilibrar suas Contas de uma Vez por Todas

5 Dicas Essenciais para Economizar Dinheiro da Maneira Certa

Como Fazer um Planejamento Financeiro

Como investir a reserva de emergência

Como a função principal da reserva é ser usada em uma emergência, é importante que ela seja investida em ativos de alta liquidez, ou seja, aplicações em que seja fácil transformar o investimento em dinheiro.

Exemplos de ativos financeiros de alta liquidez são a caderneta de poupança, produtos bancários com liquidez diária como alguns CDBs e títulos do Tesouro Selic.

Para investir a reserva de emergência, você não deve se preocupar com a rentabilidade, e sim com a liquidez. Lembre-se sempre que o objetivo principal deste dinheiro é estar disponível, e não necessariamente render juros altos.

Aqui vão algumas dicas:

– Sempre deixe uma parte da reserva financeira na poupança. Apesar da rentabilidade baixa, a grande vantagem é que a liquidez é extremamente alta, pois você pode transferir o dinheiro da poupança para a sua conta corrente em poucos minutos.

– Outra parte da reserva pode ser investida no Tesouro Selic. Este título do Tesouro Direto é pós fixado e não há penalidades na rentabilidade se ele for resgatado antes do prazo de vencimento. A liquidez também é alta, porém menor que a caderneta de poupança. A venda do título pode ser realizada todos os dias, porém o processo para vender o título e transferir o dinheiro da corretora para a conta corrente poderá demorar alguns dias úteis.  Para saber mais sobre o Tesouro Selic, leia este artigo.

– Por fim, uma terceira opção são os CDBs com liquidez diária. Nestas aplicações, é possível sacar o dinheiro diariamente, com poucas penalidades na rentabilidade. Porém é importante comparar se o investimento valeria a pena comparado com o Tesouro Selic. Saiba mais sobre CDBs aqui.

Quando usar a reserva de emergência

Tenha muito cuidado com o dinheiro da reserva. Ela é usada para emergências, e não para aproveitar oportunidades. É necessário estabelecer prioridades e saber diferenciar o que é uma emergência verdadeira e o que é um desejo momentâneo.

Reserva financeira
Sua casa pegando fogo é uma emergência!

 

Aqui vão alguns exemplos:

– Acabo de descobrir um show da minha banda favorita, mas os ingressos estão se esgotando e não tenho dinheiro – Não é uma emergência.

– Sofri um acidente e preciso pagar os remédios e o tratamento – é uma emergência.

– Bati o carro e preciso pagar a franquia do seguro – é uma emergência.

– Apareceu uma promoção relâmpago de um produto que quero comprar, o preço está imperdível – não é uma emergência.

– Me planejei mal e descobri que vou ficar no vermelho este mês – pode ser uma emergência, porém deve ser algo pontual. Se este tipo de situação ocorrer com frequência, é preciso rever o seu orçamento mensal e fazer um planejamento financeiro.

Lembre-se sempre que você deve repor o dinheiro da reserva sempre que ele for usado. Pense na reserva como um empréstimo a si mesmo, ao invés de contrair uma dívida com um banco.  Portanto, ele deve ser devolvido o mais rápido possível.

Conclusão

A vida é cheia de incertezas, e precisamos estar preparados para isso. Existem muitos casos de pessoas que passam por situações de emergência e acabam contraindo sérias dívidas por este motivo.

Situações como essa são terríveis, pois geram um stress adicional que não seria necessário se houvesse alguma folga no orçamento e uma reserva financeira de emergência.

Se hoje você não possui uma reserva de emergência, torne-a uma prioridade. Não se preocupe com objetivos de curto prazo enquanto a reserva não estiver completa.

Ter segurança financeira é fundamental para manter uma boa qualidade de vida. É poder dormir à noite sabendo que as suas contas estão pagas, seu dinheiro está bem investido e disponível para arcar com os custos gerados por imprevistos.

É claro que deve existir um equilíbrio, como em tudo na vida. Não poupe dinheiro por medo do que pode acontecer no futuro, e sim para ter tranquilidade financeira. A reserva de emergência é uma prioridade, mas não deve ser uma obsessão.

Poupe o valor da sua reserva, mas não se esqueça que a vida é feita de alegrias e o dinheiro também serve para proporcioná-las. O nome deste Blog é Poupar e Viver exatamente por este motivo: É possível poupar e viver a vida ao mesmo tempo. Para isso, basta ter a mentalidade correta, um bom planejamento financeiro e investir corretamente.

 

by -
2

A previdência privada é um dos produtos financeiros mais populares e mais ofertados pelos bancos. Na maioria dos casos, ela é vista como uma boa alternativa para garantir uma renda complementar na aposentadoria.

O problema é que existem muitas taxas e regras que devem ser consideradas na hora de tomar uma decisão. Este é um produto muito lucrativo para os bancos, mas nem sempre é vantajoso para o investidor.

Quando você deposita seu dinheiro em um plano de previdência, o banco irá investi-lo em um fundo de investimento.  Este fundo é constituído por vários produtos financeiros, como Tesouro Direto, ações, fundos imobiliários, entre outros.

Em contrapartida, haverá a cobrança de taxas de administração para cobrir os custos destas operações. Na prática, seria como se você estivesse pagando para o banco investir o seu dinheiro.

Por exemplo, na previdência privada do Banco do Brasil (BB), conhecida como BrasilPrev, o correntista pode escolher diversos fundos diferentes:

brasilprev

Cada fundo tem uma característica, requisitos mínimos e um perfil de investimento. Veja por exemplo  como é a composição do fundo RT FIX FIC FI Renda Fixa (fonte) :

brasilprev rentabilidade
Composição de Títulos do fundo RT FIX FIC FI Renda Fixa

Veja que o fundo nada mais é do que uma carteira de investimentos, como mencionado acima. Até aí não haveria nenhum problema neste investimento. A desvantagem começa quando olhamos as taxas, regras e o histórico de rentabilidade destes fundos ao longo do tempo.

Neste ponto, podemos fazer duas reflexões:

– Por qual razão você pagaria para um desconhecido investir o seu dinheiro se você pode fazer isso diretamente sem precisar pagar nenhuma taxa?

– Se a intenção é investir em fundos, porque aplicar em uma previdência se você poderia comprar os fundos diretamente, sem o intermédio (e, consequentemente, taxas) dos planos de previdência privada?

É claro que nem sempre a previdência privada é um vilão. Existem casos em que ela pode ser vantajosa, e irei falar sobre eles neste artigo.  O problema é que muitas vezes as pessoas enxergam este investimento como a única opção possível. Este tipo de coisa acontece justamente porque os planos de previdência privada são extremamente lucrativos para os bancos, e por este motivo existe um marketing pesado envolvido para a venda deste produto financeiro.

A intenção deste artigo é mostrar quais são as características da previdência privada, suas vantagens e desvantagens e os custos que você deve levar em consideração antes de contratar um plano. Lembre-se que normalmente estes planos são de longo prazo, e existem regras muito rígidas a serem seguidas. Sendo assim, é muito importante tomar esta decisão com cuidado, para que você não se arrependa no futuro.

 

O que é a Previdência Privada

previdencia-privada-vale-a-pena

A previdência privada é um tipo de previdência complementar, ou seja, ela é um complemento para a previdência pública, regida pelo INSS, oferecida por bancos e seguradoras.

Alguns também entendem a previdência privada como um produto securitário, ou seja, uma espécie de seguro de vida, especialmente no caso dos planos VBGL.

Ao contratar um plano de previdência privada, é muito importante verificar se a instituição financeira está cadastrada no Susep, que é o órgão que fiscaliza este tipo de produto financeiro.

Existem dois tipos principais de previdência privada, que são o PGBL e o VBGL:

PGBL – Plano Gerador de Benefício Livre

O valor investido mensalmente pode ser abatido no imposto de renda. Muitos bancos usam este fato como uma enorme vantagem para estes planos, porém é preciso cuidado, pois isto não significa que o PGBL é isento de imposto de renda. Trata-se apenas de um adiamento do pagamento.

O imposto será cobrado ao final do período do plano, sobre todo o montante investido (o dinheiro depositado e também os juros que o dinheiro rendeu). É preciso cuidado neste caso, pois o imposto retido no vencimento do plano muitas vezes não compensa o abatimento gerado pelos depósitos mensais. Lembre-se que em outros investimentos como o Tesouro Direto, o IR incide somente sobre o rendimento (juros) e não sobre todo o dinheiro investido.

VBGL -Vida Geração de Benefício Livre

As parcelas pagas não podem ser abatidas no Imposto de Renda, porém ao final do período o IR irá incidir somente sobre os rendimentos, e não sobre o total investido.

Dependendo do caso, um plano pode ser mais vantajoso que o outro. Normalmente, pessoas que fazem a declaração completa do IR preferem o PGBL, pois assim poderão ganhar alguns benefícios fiscais devido à dedução dos valores pagos para o plano de previdência privada.

Entretanto, vale sempre ressaltar que nenhum destes planos é isento de IR. Tome muito cuidado com o marketing dos bancos, pois muitas vezes acabamos pensando que o valor pago para o PGBL será abatido no IR, mas esta afirmação é incorreta. A vantagem fiscal é apenas momentânea.

A recomendação geral dada pelos bancos é adquirir o VGBL se você estiver em início de carreira profissional ou prestes a se aposentar, e adquirir o PGBL se você possuir uma renda elevada, estiver no auge da carreira e em uma faixa etária de 30 a 50 anos.

Regime de Tributação – Tabela Progressiva e Regressiva

imposto de renda previdencia privada

Além dos tipos de plano de previdência privada (PGBL e VBGL), é preciso também escolher o regime de tributação. Existem duas tabelas utilizadas:

Tabela Progressiva

Nesta modalidade, a alíquota do Imposto de Renda é calculada com base no valor a ser resgatado ou transformado em renda ao final do plano.

tabela progressiva IR

O recolhimento do IR é feito 15% retido na fonte (independentemente do valor) com compensação na declaração anual se necessário.

Regressiva

A tabela regressiva foi criada para estimular os investimentos a longo prazo. Neste caso, a alíquota do IR varia conforme o tempo de aplicação do dinheiro, seguindo a seguinte tabela (retirada do site do BrasilPrev):

tabela progressiva IR

Observe que a tabela regressiva é mais vantajosa para aplicações de, no mínimo, 8 anos. Vale lembrar que as alíquotas da tabela regressiva a curto prazo são maiores que nos investimentos em renda fixa. O IR cobrado para CDB e títulos do Tesouro Direto é de 15% sobre o rendimento para aplicações acima de 2 anos, e as LCI e LCA são isentas.

A escolha entre o regime progressivo ou regressivo dependerá dos objetivos de cada pessoa. Em geral, para aplicações de longo prazo o ideal é a tabela regressiva.

A tabela progressiva é indicada para aplicações de prazos mais curtos ou nos casos em que a renda desejada para a aposentadoria seja inferior às alíquotas mais baixas do IR (7.5% para uma renda inferior a R$ 2.826,65).

 

Taxas Cobradas – Onde o Problema Começa

previdencia privada taxas

A principal desvantagem dos planos de previdência privada, quando comparados a outras aplicações no mercado financeiro, são as taxas cobradas. É comum encontrar bancos que cobram taxas anuais acima de 3%, e este é apenas um dos vários custos deste tipo de investimento. Enquanto isso, aplicações como o Tesouro Direto, cobram taxas de administração anuais de 0,3% e taxas de corretagem abaixo de 0,2% ao ano (inclusive, várias corretoras não cobram esta taxa).

Ao avaliar um plano de previdência privada, é essencial que você tenha uma visão clara e precisa sobre todos os custos envolvidos. Muitas vezes os bancos fazem simulações de previdência com base somente na rentabilidade dos planos, e não descontam as taxas envolvidas.

Existem fundos de previdência privada que possuem rentabilidades atraentes e melhores do que os títulos de renda fixa. Porém esta vantagem é perdida ao considerarmos todas as taxas cobradas. Esta é a principal armadilha que você deve evitar.

Vou repetir: SEMPRE pergunte os custos. Peça a tabela de taxas e o contrato do plano, leve para casa, avalie com calma e só então tome uma decisão.

Agora, vamos avaliar as taxas comumente cobradas nos planos de previdência privada:

– Taxa de Carregamento

Incide sobre a contribuição, ou seja, sobre o dinheiro depositado no plano. Esta taxa varia entre 0 e 5% sobre o valor a ser investido. Existem basicamente três tipos de taxa de carregamento:

  Antecipada: incide sobre cada depósito efetuado.

  Postecipada: incide sobre o valor a ser resgatado antecipadamente ou no vencimento do plano.

  Híbrida: existe cobrança tanto no depósito quanto no resgate do dinheiro.

Em geral, quanto maiores forem os aportes mensais e maior o tempo de permanência no plano de previdência, menor será a taxa de carregamento. Os valores e prazos variam conforme o banco ou instituição financeira.

– Taxa de Administração

Esta taxa normalmente é cobrada sobre todo o dinheiro investido, e serve para custear a administração do fundo de previdência. A média do mercado está entre 1.5 e 5% ao ano. É a taxa que mais compromete a rentabilidade da previdência privada.

Estas taxas são terríveis. Como mencionado acima, se compararmos com o Tesouro Direto, as taxas cobradas pela previdência privada chegam a ser abusivas.

Existem planos com taxas atraentes, porém normalmente são reservados para clientes de alta renda.  Vale ressaltar que, no caso dos fundos de pensão, estas taxas podem ser menores ou diluídas quando o empregador é responsável por uma porcentagem dos aportes mensais. Estes fundos de pensão são os planos de previdência oferecidos pelas empresas aos seus funcionários, como por exemplo a Funpresp para os servidores públicos.

Quando a Previdência Privada vale a pena?

pbgl ou vbgl

Devido às altas taxas cobradas, na maioria dos casos a previdência privada não vale a pena se comparada a outros investimentos em renda fixa ou renda variável.  Porém existem duas situações em que ela pode ser considerada:

– Para quem não consegue investir por conta própria

Pessoas que não possuem o mínimo de organização financeira e não conseguiriam poupar uma quantia mensal para investir por conta própria podem enxergar a previdência privada como uma solução, pois o plano irá obriga-lo a realizar os depósitos. Inclusive, na maioria dos bancos esta quantia já é retirada diretamente da sua conta corrente ou, no caso dos fundos de pensão, descontada da folha de pagamento.

Porém, é bom ressaltar que existe um preço altíssimo sendo pago por esta falta de organização. E como os planos de previdência são a longo prazo, vale a pena refletir se realmente vale a pena perder tanto dinheiro apenas por uma falta de organização no presente.

Além disso, se você não sabe como investir dinheiro e por este motivo quer deixar seu dinheiro na previdência privada, saiba que existe muito material de qualidade à sua disposição. Na minha sincera opinião, vale mais a pena aprender a investir (mesmo que você demore para aprender) do que ficar “preso” a um péssimo produto financeiro.

Aqui no blog existem vários artigos publicados sobre investimentos que podem ajudar quem está começando:

Além disso, também criei o Curso Aprenda a Investir, com vídeo aulas didáticas que ensinam o passo-a-passo para fazer um planejamento financeiro e aprender a investir seu dinheiro de forma segura e com boa rentabilidade. É uma boa opção para quem quer aprender, mas não tem tempo para caçar conteúdos em livros e na internet. No curso, o conteúdo já está mastigado e resumido, e contém o essencial que você precisa saber para sair do zero e comprar seus primeiros investimentos.

curso-aprenda-a-investir-350-200

– Para quem tem acesso aos fundos de pensão

Muitas empresas possuem programas de previdência privada fechados, conhecidos como fundos de pensão. Nestes planos, geralmente o funcionário deposita uma quantia e a empresa complementa este depósito. Dependendo do valor investido pela empresa, pode ser uma boa ideia contratar e manter este plano de previdência privada.

Os custos ainda irão existir, e em alguns casos são mais altos do que as taxas cobradas nos planos de previdência privada comuns. Entretanto, como uma parte é depositada pela empresa, estas taxas serão diluídas.

Outra vantagem destes planos é que o valor é descontado diretamente da folha de pagamento, e, portanto, você será obrigado a sempre depositar aquela quantia. Porém, é preciso avaliar se o complemento depositado pela empresa é suficiente para cobrir as taxas cobradas e a possível rentabilidade baixa do investimento.

Considere também que estes planos geralmente possuem um prazo de carência, que pode variar entre 3 e até 10 anos de permanência na empresa. Logo, se você consegue visualizar alguma possibilidade de mudança de emprego antes do prazo de carência, este investimento não é indicado.

Os fundos de pensão podem ser aproveitados para quem tem acesso a este recurso, porém não devem ser a única fonte de investimento. Estes fundos possuem baixa liquidez e não são adequados para objetivos de curto e médio prazo. Sendo assim, eles podem servir como um complemento aos seus investimentos ou como uma espécie de seguro de vida.

Cuidado com as armadilhas!

previdencia privada como funciona

O grande problema da previdência privada são as taxas cobradas, que normalmente não são informadas de maneira clara pelos bancos. Porém existem outras desvantagens que também devem ser consideradas:

Baixa Rentabilidade

Ao depositar seu dinheiro na previdência privada, o banco irá investi-lo em um fundo com determinadas características.

O problema destes fundos é que a rentabilidade não é prefixada como acontece em alguns títulos de renda fixa. Sendo assim, os rendimentos irão variar com o tempo, dependendo de como os administradores decidirem investir o dinheiro, e existem períodos em que os fundos poderão apresentar rentabilidades negativas.

Além disto, é comum que os bancos façam simulações com valores irreais para tornar os planos de previdência privada mais atrativos. O correto é realizar uma simulação com um valor médio do histórico de rentabilidade do fundo, e considerar também os efeitos da inflação.

Alto Risco

Existem vários tipos de fundos que podem ser escolhidos ao contratar um plano de previdência privada, que variam conforme o perfil do investidor.  O que diferencia um fundo do outro é a alocação de ativos, ou seja, a distribuição do dinheiro nas várias classes de investimentos.

Perfis conservadores terão uma alocação maior em renda fixa, enquanto que perfis arrojados terão uma alocação focada em renda variável.

O problema é que o perfil de cada investidor pode variar com o tempo, tanto pela proximidade da aposentadoria, quanto pela aquisição de conhecimentos que traz mais confiança para buscar perfis mais arrojados.

Além disso, existe um problema muito grave: os planos de previdência privada não são cobertos pelo FGC (Fundo Garantidor de Créditos). Ou seja, se o banco ou instituição financeira responsável pelo seu plano de previdência quebrar, você irá perder todo o seu dinheiro.

A lei garante alguma segurança para o investidor em casos de liquidação judicial, porém este processo pode demorar anos, além de ser ineficiente. Se for comprovado que a instituição financeira não é capaz de restituir seus investidores, não haverá reembolso.

Veja um trecho de uma entrevista na revista IstoÉ Dinheiro dada pelo criador dos planos PGBL, Osvaldo do Nascimento (clique para ampliar a imagem):

pbgl vale a pena

vbgl vale a pena

Observe neste trecho que o risco também existe para quem investe nos fundos de pensão:

funpreso fundo de pensao

Logo, além do risco de mercado (comum a qualquer investimento), existe o risco de a instituição quebrar e você não receber o seu dinheiro.

Na entrevista fica claro que não é possível prever a quantia exata que uma pessoa irá receber na aposentadoria. Portanto, desconfie também de propostas que coloquem em evidência esta renda futura, pois existem grandes chances de os valores reais serem diferentes dos anunciados. Acesse aqui a reportagem completa. 

Outros investimentos em renda fixa, como CDBs, LCI, LCA, poupança, letras de câmbio e fundos de investimento são cobertos pelo FGC na quantia de R$ 250 mil por CPF por instituição financeira. O Tesouro Direto não é coberto pelo FGC, mas a sua garantia é o próprio sistema financeiro nacional, que torna este investimento o título mais seguro do país.

Portanto, é errado pensar na previdência privada como uma alternativa segura e rentável para garantir uma renda na aposentadoria.

Baixa Liquidez

Os planos de previdência privada possuem baixa liquidez, ou seja, é muito difícil resgatar o dinheiro aplicado antes do prazo estabelecido. Muitos planos possuem carência, além da alíquota de imposto de renda, que é maior para prazos mais curtos. Ou seja, você irá pagar altas taxas para outros administrarem o seu dinheiro, e será penalizado se precisar resgatá-lo.

Simulações Falsas

É comum que os bancos mostrem gráficos de rentabilidade da previdência privada com projeções extremamente otimistas. O mundo financeiro não funciona assim. Muitas vezes estas simulações são realizadas para aplicações mensais durante décadas considerando cenários econômicos de juros altos e inflação baixa.

Tenha em mente que é impossível prever a rentabilidade de um plano de previdência privada. Você pode olhar o histórico dos fundos, porém o futuro é cheio de incertezas. Isso também vale para quem investe por conta própria, mas a diferença é que neste caso você terá total liberdade para mudar como o dinheiro será investido.

Inclusive, investindo por conta própria, é possível aproveitar ciclos econômicos e oportunidades momentâneas de investimento, o que não acontece em um plano de previdência privada.

Falta de transparência

Este artigo já possui mais de 2700 palavras, e eu não entrei em detalhes profundos sobre todas as regras que envolvem a previdência privada. Mesmo assim, ele está maior do que todos os outros artigos sobre investimentos, incluindo a bolsa de valores. Será que este é um sinal?

Muita gente acha difícil aprender a investir, e escolhem a previdência privada porque aparentemente é algo mais simples.

Este é o maior engano.

A previdência privada possui tantas regras, tributações, legislações, taxas e cláusulas contratuais que este artigo seria transformado em um livro se eu resolvesse esclarecer todos os pontos.

A verdade é que contratar um plano de previdência é mais complexo do que investir em outros produtos financeiros como o Tesouro Direto. As pessoas não percebem isso justamente porque não tem acesso ao conhecimento ou não se preocupam em estudar e entender o que irá acontecer com o seu dinheiro e simplesmente entregam tudo para o banco.

A previdência privada nada mais é do que uma poupança forçada, com a diferença que você estará pagando caro para o banco “cuidar” do seu dinheiro.

Se você tem interesse em investir na previdência privada, preste muita atenção aos contratos. Leia todas as cláusulas, peça as tabelas com o histórico de rentabilidade, alocação de ativos do fundo, e com todas as taxas cobradas.

Além disso, tome cuidado com os falsos benefícios, como a suposta isenção do imposto de renda, imposto sobre herança e da necessidade de inventário em caso de falecimento. Muitas vezes o ganho proporcionado pela isenção não compensa décadas de dinheiro perdido em taxas administrativas. Se a intenção é aproveitar este tipo de benefício concedido pela previdência privada, você deverá encará-lo como um seguro de vida, e não como um investimento.

Conclusão

Se você leu o artigo até aqui, já percebeu que investir na previdência privada não é algo tão simples quanto pode parecer. É preciso avaliar com cuidado as cláusulas contratuais, taxas envolvidas, regime de tributação e a modalidade PGBL ou VBGL que será escolhida.

Se você já possui um plano de previdência e não sabe se deve cancelá-lo, é preciso avaliar com cautela a rentabilidade líquida atual e nos anos anteriores. Verifique qual é a penalidade em caso de cancelamento e compare se esta perda compensa ganhos futuros em outros investimentos.

Outro ponto a ser levado em consideração é a sua capacidade de poupar e investir. De nada adianta recusar ou cancelar um plano de previdência privada se você não fizer nada com o seu dinheiro.

Jamais duvide da sua capacidade de poupar e investir corretamente. É possível administrar suas finanças de maneira simples e inteligente, basta investir em conhecimento. Aqui no Poupar e Viver publiquei vários artigos sobre os mais diversos tipos de investimentos que você poderá usar para aprender.

Além disso, através do Curso Aprenda a Investir, você poderá acelerar o seu aprendizado e parar de perder tempo e dinheiro com investimentos ineficientes.

Conhecimento é tudo. Através dele você poderá tomar suas próprias decisões financeiras, sem depender da opinião dos outros.

Deixe seu comentário falando o que achou do artigo. A sua opinião é importante para que eu continue publicando conteúdos que realmente resolvam os problemas das pessoas 🙂

 

 

 

 

 

Siga-nos!

Shares

Gostou do Conteúdo?

 Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Acesse seu e-mail e confirme a inscrição!